You are currently browsing the tag archive for the ‘Perdão’ tag.

Cada um de nós chega ao Espiritismo por vários caminhos, uns nascem em lares espírita e desde cedo tem contato com a doutrina, outros conhecem o espiritismo porque vão buscar respostas para suas dúvidas que não encontram em outros segmentos religiosos, outros ainda chegam pelo sofrimento.

OBRAS_BASICAS_DE_ALLAN_KARDEC

Não há no mundo quem passe pelo¨ Mundo de Provas e expiações ¨ sem algum sofrimento, e o espiritismo é o bálsamo que nos ajuda a entender e superar nossos problemas, o vazio da alma, as doenças do corpo material as diferenças que observamos entre os seres humanos.

Só mesmo o conhecimento da doutrina através das palestras realizadas nas casas, o estudo contínuo da literatura espírita nos dará o entendimento do porque do nosso sofrimento, encontramos a resposta para perguntas como: De onde vim? o que estou fazendo aqui? Para onde vou?

Não lembramos das nossas vidas passadas para justificarmos as nossas dificuldes atuais, só com o entendimento da lei de Causa e efeito podemos aceitar com naturalidade as nossas provas e expiações. Com toda certeza hoje somos melhores do que fomos no passado.

Para sermos espíritas de verdade precisamos conhecer, entender e tentar vivenciar os ensinamenos do nosso Mestre Jesus, só através do amor, do Perdão e  da caridade é que poderemos crescer a cada nova reencarnação. É importante  agradecermos ao Pai, a oportunidade dessa reencarnação para evoluirmos nesse planeta que é a nossa grande escola.

Muita Paz

Anúncios

O amor ao próximo incluindo os inimigos é o verdadeiro principio da caridade é a principal virtude que nos leva a evolução espiritual. Porém nosso Mestre Jesus entendeu que nós na nossa atual condição, ainda não temos condições de sentir pelo inimigo a mesma ternura que sentimos pelos amigos, pois a ternura traduz confiança e não temos condições de confiar em quem nos fez o mal.

Perdoar sempre

Entre pessoas que não confiam umas nas outras não pode haver total confiança, sentimos simpatia e afeto ao lado  das pessoas que amamos. Essa é uma lei natural de atração e repulsão dos fluidos. os pensamentos negativos atingem com facilidade quem não se sente bem perto de um desafeto.

Ao passo que a proximidade dos amigos produz vibrações positivas, bons fluidos. Amar os inimigos significa, nãos lhes desejar e nem fazer o mal, a orar por eles, vibrar pelo seu sucesso, e se caso algum dia precisarem   do nosso auxílio ajudar aquele irmão necesitado, sem hesitar. Agindo dessa maneira estamos exercitando o amor pelos nossos inimigos e evitando   acumular ódios para as próximas existências.

Muita Paz

 

 

 

 

 

É lógico que na nossa atual evolução mão temos condições de compreender as leis de Deus, no entanto temos certeza da sua existência, da sua justiça e do seu amor por todas as criaturas.

Muitos de nós gostaríamos de lembrarmos de nossas vidas passadas, quem fomos, o que fizemos, até para e entender o nosso sofrimento e as nossas dificuldades. Sabemos que estamos em um planeta de provas e expiações e se estamos aqui com toda certeza estamos resgatando delitos passados.

Finados - 2

Mas será que se lembrassemos do passado não seria mais fácil de aceitar os nossos sofrimentos e perdoar aqueles que nos fizeram mal?

Quando cometemos um delito na nossa atual reencarnação, normalmente sofremos as consequencias e  se o erro for grave, podemos até ser punidos pela justiça. Claro que podemos até nos arrepender independente de acontecer uma  punição. Mas quantas criaturas ficam revoltadas diante da punição que sofreram, independente do erro que cometeram.

Deus na sua sabedoria lança o véu do esquecimento a cada nova reencarnação, pois não suportaríamos a convivência com quem nos fez mal. Como seria conviver com alguém que precisamos perdoar? ou que precisamos ser perdoados?

Precisamos renascer ao lado de muitos dos nossos desafetos do passado, pois com a conviência pode nascer o amor e acontecer o reconciliamento com os nossos adversários. Com certeza ficará mais fácil. Ainda com o véu do esquecimento quantas vezes  não conseguimos amar a pessoas que vieram para que pudessemos nos reconciliar. E precisamos repetir a reencarnação para uma  nova oportunidade.

De uma certa forma temos algumas intuições de como vivemos no passado, pela nossa condição de vida, pelas pessoas que vivem ao nosso lado, pelas nossas tendências e gostos, temos uma vaga percepeção dos nossos defeitos e dos nossos desafetos.  Nada acontece por acaso!

Confiemos nas leis de Deus, Ele é Perfeito, Justo e Amoroso.  Sabe realmente o que é melhor para cada um de nós alcançarmos a evolução espiritual. E nos dá tantas oportunidades quanto precisarmos para chegarmos á plenitude.

Muita Paz

¨  Amareis o Senhor vosso Deus de todo o vosso coração, de toda vossa alma e de todo vosso Espírito ¨  é o maior e o primeiro mandamento; e eis o segundo :  ¨Amareis vosso próximo como a vós mesmos. ¨ – Mateus, 22:34-40 . Fazei ao teu próximo tudo o que quereis que eles vos façam. Tratai  todos da mesma forma que quereis  que ele vos tratassem, Mateus 7:12 – Lucas 6:31

Perdoar sempre

Um homem apresentou-se ao rei  para pedir clemência pois não tinha condições de saudar sua dívida que era de dez mil talentos, e a solução dada pelo rei  foi a seguinte:  Venda sua mulher e seus filhos e tudo que tiver  e pague sua dívida. O devedor lançou-se aos seus pés  suplicando-lhe:

 – Tende um pouco de paciência  e eu lhe pagarei totalmente. o rei teve compaixão e isentou-lhe da dívida.  O homem mal tendo saído, encontrou um dos seus companheiros que também lhe era devedor, o tomou pela garganta e lhe disse: Paga o que me deve. O devedor lançou-se aos seus pés pedindo-lhe um pouco de tempo pois iria lhe pagar.

Mas o homem nem quis escutar, mandando-o prender até que pagasse o que lhe devia. Seus companheiros imediatamente foram contar ao rei o que viram,  O rei mandou que o homem fosse levado a sua presença e disse-lhe: Eu vos isentei do que me devias e tu não tiveste piedade do teu devedor?

Encolerizado o rei mandou entregar o homem aos carrascos, até que pagasse as suas dívidas. Com que direito podemos exigir dos nossos semelhantes  procedimentos de indulgência, caridade e benevolência se não praticarmos estas virtudes. Quando o ser humano tomar por norma de conduta,  o amor, o perdão,  isto é,  a verdadeira fraternidade, reinará   entre  os homens a paz e a justiça.    Nascerá a concórdia mútua e um mundo mais evoluido.

Muita Paz

Em Mateus Capítulo V v7, vamos encontrar uma passagem em que Jesus refere-se ao perdão:  ¨Se perdoardes aos homens as faltas que eles fazem contra vós, vosso Pai Celestial vos perdoará também vossos pecados, mas se não perdoardes aos homens quando ele vos ofendem, vosso Pai, também, não vos perdoará os pecados ¨

Essa passagem está ligada a oração do Pai Nosso quando pedimos  ao Pai:  ¨Pai perdoai as nossas ofensas, assim como nós  perdoamos aos que nos ofenderam ¨ Na verdade o perdão que Jesus veio nos ensinar é aquele que respondeu a Pedro, quando este lhe perguntou quantas vezes deveria perdoar  um irmão quando o ofendesse.

Que  seria  setenta  vezes sete. Isso significa perdoar sempre. Seria o perdão das crianças, que depois de se ofenderem, voltam a brincar sem guardar nenhuma mágoa nos corações. Mas Jesus sabia que na nossa atual evolução não conseguiríamos perdoar desta maneira.

Então na sua sabedoria nos ensinou a  ¨Amar os nossos inimigos ¨ , ele veio nos ensinar a essência do amor, que é o perdão total, mas sabia que ainda não poderíamos sentir pelo nosso inimigo o que sentimos por um amigo.  Isto até porque resulta de uma lei física da assimilação e repulsão das vibrações.

Amar os inimigos significa não sentir ódio, nem desejo de vingança, até porque vingança não cura dor.  Mas desejar-lhes o bem e orar por todos aqueles que nos ofenderam.

Perdoar é ter compaixão. Perdoar é um  modo de viver.  Não adianta dizermos que perdoamos e dentro do nosso coração continuarmos  sentindo mágoa, sofrendo ao lembrar a ofensa sofrida. Perdoar não é sofrer!    Que adianta dizer eu perdoei, mais viver remoendo dia a dia o mal que recebeu. Isto nos leva a exaustão intima e profunda.

Uma ferramenta básica para aprendermos a perdoar é manter-nos a uma distância psiquica, dos problemas das discussões. Bem como dos diálogos mentais que giram constantemente em nossas mentes. Aí sim! conseguiremos perdoar  aqueles irmãos que nos ofenderam.

Viemos a este mundo de provas e expiações, para resgatar os nossos débitos e nos reconciliarmos com os nossos adversários. para que possamos caminhar rumo à plenitude. Mas Deus nosso Pai não tem pressa ele nos dará tantas chances quantas forem necessárias  para alcançarmos a nossa evolução espiritual.

Muita Paz

– Quantas vezes perdoarei ao meu irmão? Vos lhes perdoareis não sete vezes, mas setenta vezes sete. Eis um dos ensinos de Jesus que mais deve impressionar a vossa inteligência e falar mais alto ao vosso coração… Jesus responde a Pedro: Tu perdoarás, mais  sem limites; perdoarás cada ofensa tantas vezes  quantas ela te for feita; ensinarás a teus irmãos o esquecimento de si mesmo…Escutai, pois essa resposta de Jesus, e, como Pedro , aplicai essas palavras a vós mesmo; perdoai, usai de indulgência, sede caridoso, generoso, pródigo até no vosso amor. ( Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo X ).

Perdoar é reparar energias danificadas. Ninguém é capaz de perdoar o outro  antes de reparar suas próprias energias. Enquanto o ser for indiferente ao perdão continuará a ofender o irmão.    O perdão cobre uma multidão dos nossos erros. O amor foi a lição maior ensinada por Jesus, é através dele que são dissolvidas as vibrações de ódio que não compreendem a força do perdão.

Amar ao inimigo é o ponto mais alto das vibrações harmonizadas. O perdão drena todas as energias doentes. O perdão alimenta o Espírito dos ensinamentos divinos, porque na verdade quem perdoa sabe que o outro em qualquer situação , é seu irmão.

Muita Paz

¨ Perdoai as nossas ofensas, assim como perdoamos aqueles que nos ofenderam ¨ quando pronunciamos estas palavras na oração do ¨Pai Nosso¨ estamos pedindo perdão ao pai e estamos prometendo perdoar os que nos fizeram sofrer. Perdoar é corrigir as nossas energias que foram contaminadas pela mágoa dos que nos fizeram mal.  Perdoar é harmonizar os nossos pensamentos.

O Perdão é a renovação das energias danificadas. Ninguém consegue perdoar o outro,  se não perceber que seu coração está cheios de energias negativas. Perdoar é amar ao seu próximo como a si mesmo, e amar é uma necessidade urgente para encontrarmos a  serenidade. 

 A Doutrina Espírita através dos ensinamentos do Mestre Jesus nos ensina a perdoar, não apenas uma vez, mas setenta vezes sete a cada ofensa, isto praticamente é perdoar sempre. Enquanto o ser não despertar para o valor do perdão, não conseguirá enxergar as luzes da caridade e do amor.

E somente o amor pode  dar essa alegria.  É preciso amar para aprender a perdoar  e não cultivar dentro do  coração as vibrações doentes do ódio e da mágoa.  A arte de perdoar pode ser descoberta por todos, em qualquer circunstância. Com sabedoria cada um encontrará na hora certa,  o que já dentro de cada consciência.

Muita Paz.

É importante buscarmos o equilibrio nas relações com os nossos familiares. Devemos realmente trabalhar para mantermos a paz entre esses nossos irmãos. As leis que dão origem a esse núcleo, tem como finalidade   despertar o amor através da reconciliação. 

Nas obras espíritas encontramos  diversos motivos para despertarmos a fraternidade no nosso grupo familiar. Em primeiro lugar precisamos nos observar, será que  nos nossos desentendimentos familiares,  não somos nós os impacientes? Normalmente conseguimos  perceber os defeitos nas pessoas que nos cercam, e muitas vezes não conseguimos perceber em nós mesmo.

Não percebemos quando vivemos de mau humor, quando exigimos que todos façam apenas aquilo que queremos. É importante percebermos os nossos defeitos, para que possamos  facilitatar o dialogo com a nossa família, tentando criar um clima de simpatia, procurando esquecer as mágoas passadas. Se  algum parente que errou conosco. Entendamos que também erramos muitas vezes.

A convivência com a  família é feita de pequenos momentos, queremos que respeitem o nosso espaço, então precisamos também respeitar o espaços dos familiares. Uma dificuldade que normalmente  temos,  é aceitar as diferenças, e claro que em um grupo familiar há muitas diferenças.

¨Família ¨

No livro ¨O Evangelho Segundo o Espiritismo ¨em cada capítulo vamos encontrar ensinamentos que se colocarmos   em prática, com certeza conseguiremos despertar e manter a paz, dando a todos o direito da sua individualidade.

A prática do Culto no Evangelho no Lar, também é um importante instrumento que temos para aprendermos a desenvolver o  respeito mútuo  dentro do lar. Frequentemente o Espírito renasce no mesmo meio  em que já viveu, estabelecendo de novo relações com as mesmas pessoas, a fim de reparar o mal que lhes haja feito.

Com esse entendimento, permanecendo em constante vigilância, recorrendo sempre a oração diária. Poderemos equilibrar a harmonia do nosso lar e cumprir o ensinamento que o nosso Mestre nos deu, quando nos ensinou:  ¨Reconcilia-te com teu adversário enquanto estais a caminho lado a lado¨  

Muita Paz

Na pergunta 974 em ¨O Livro dos Espíritos¨ Kardec perguntou a espiritualidade: De onde procede a doutrina do fogo eterno?  Resposta: –  Imagem, como tantas outras, tomada como realidade.

Continuando na 974-a: Mas esse temor não pode ter um bom resultado? Resposta: – Vede se ele refreia aqueles que a ensinam. Se ensinais coisas que a razão rejeitará mais tarde, produzireis uma impressão que não será durável nem salutar.

O homem  incapaz de traduzir na sua linguagem a natureza desses sofrimentos, não encontrou para ela comparação mais enérgica que a do fogo, pois esta é para ele o tipo de súplicio mais cruel e o simbolo da ação mais enérgica. È por isso que a crença do fogo eterno remonta à  mais alta antiguidade e os povos modernos os herdaram dos antigos. É ainda por isso que, na sua linguagem figurada, ele diz: o fogo das paixões, queimar de amor, de ciúmes etc..

Na RIE de junho de 2008, encontramos um artigo que relata que no ano de 2007, o papa Bento XVI reiterou, em um sermão para fiéis em Roma, que o inferno não é uma imagem literária – trata-se realmente de um lugar onde as pessoas  queimam por toda a eternidade.

 

¨ Inferno ¨

Moisés para conter os povos rudes do seu tempo, mostrou  um Deus punidor, violento, vingador que ensinava, mas não perdoava, muito parecido com os ¨seres  humanos¨. E nesse caso,  muitos o seguem por medo,  de não agrada-lo e serem condenados  ao fogo eterno. Pois Deus não perdoa e sim condena.

Qual o papel de Jesus Cristo? Que veio nos ensinar o amor e o perdão, que ensinou que devemos perdoar setenta vezes sete cada ofensa recebida.  E que  Deus nosso Pai  nos dá o seu  perdão.

Me perdoem a comparação,  mas qualquer ¨pai ou mãe terrena¨ perdoa e ama o seu filho, mesmo diante dos seus erros e jamais condenariam um  filho ao fogo da eternidade.  Jesus veio nos mostrar um Deus amoroso, que perdoa e dá tantas oportunidades aos seus filhos, quantas forem necessárias, até encontrarem o caminho do bem,  e que jamais consentiria em deixá-los nas mãos de Satanás  queimando eternamente.

Quando disseram que Deus foi criado a nossa semelhança, queriam dizer que ele é igual também  nos nossos defeitos? Punidor, vingador?  Por isso vemos tantos seres na humanidade revoltados com Deus. E pior julgando os atos de Deus.

Por que Deus me abandonou? Por que consente tantas tragédias? Onde estava  Deus diante das catástrofes? Por que Deus levou meu filho etc… Para crer num Deus assim, muitos preferem crer que depois da morte nada existe, na realidade é mais consolador, do que arriscar ir para o inferno.

Deus é a inteligencia suprema causa primária de todas coisas. Deus é eterno, imutável, imaterial, único, poderoso, soberanente justo e bom. Deus é amor!  E ama a todos os seus filhos bons ou maus.  Jesus Cristo seu filho amado, ensinou que  o bom pastor não perde nenhuma das suas ovelhas que todas serão reconduzidas ao caminho do amor.

Deus não precisa ser temido, Deus deve ser amado, quem aceita suas  leis por amor e confiança não põe seu amor em julgamento.

Muita Paz

Hoje aqui no Brasil comemora-se o dias mães. Muitos reclamam pois o comércio faz uma grande propaganda, e termina forçando-os a presentear suas mães. Mas fica aqui a homenagem a todas as mães. E também a muitos pais, que na falta da mãe dos seus filhos, tornaram-se  verdadeiro pãe. O homem dedicando aos filhos o amor que a mãe por vários motivos não pode dar. Nossa homenagem também a todas as mulheres que não são mães biológicas, mas que amam os seus filhos do coração. As mães substitutas, como avós, tias e madrastas, que dão amor aos filhos que  não geraram. 

 

Feliz dia das mães

 Não há como negar que o comércio, aproveita uma data como essa para faturar. Mas na verdade, muitos filhos só lembram das suas mães quando ouvem a propaganda do comércio,  a sociedade os obriga a fazer, o que poderia ser feito várias vezes durante o ano. Um presente, uma flor, um beijo, uma palavra de carinho, para quem nos deu muito tempo o seu amor incondicional.

A comemoração do dias das mães é feita desde a Grécia antiga, quando as homenagens eram feitas para as mães dos Deuses.

Nos estados Unidos houve uma sugestão para essa comemoração em 1872, mas  essa comemoração só foi oficializada  em 1914, pelo então presidente da época. Isso em consequencia de uma jovem que perdeu sua mãe, no início do século XX e entrou em profunda depressão, e suas amigas resolveram perpetuar a memória da mãe de Annie , promovendo uma festa.

Annie, ficou emocionada com a festa, e quis que fosse dedicada a todas as mães vivas ou mortas, e repetiram a festa muitos anos seguidos , até que essa comemoração, se alastrou por todo os Estados Unidos, até ser oficializada para o dia 09 de maio.

Em várias países acontece essa comemoração, com datas fixas os móveis como aqui no Brasil.

Claro que existem mães que negligenciaram, nos deveres com seus filhos, abandonando-os, maltratando-os fisicamente, e emocionalmente,  não conseguindo cumprir a  sagrada missão da maternidade. Porém não nos compete julgar o nosso semelhante, especialmente quando esse semelhante é a nossa mãe.

Podemos ter muita mágoa, podemos até não amá-las, mas foram elas que nos deram a vida, foi a mãe que Deus nos deu, e isso não foi por acaso. Pois o acaso não existe. Perdoar essas criaturas que não foram boas mães, é entender o ensino de Jesus, quando nos ensinou a ¨Piedade Filial¨

Nós espíritas que sabemos das leis da reencarnação sabemos que aceitamos as nossas mães e que elas nos aceitaram na hora da nossa programação. Quando deixarmos a terra levaremos apenas o que de bom e ruim fizemos, e nesse caso precisamos exercitar o perdão.

Nem todos somos pais ou mães, mas todos somos filhos. E nesse dia das mães e todos os dias, lembremos das palavras do apóstolo Paulo, que está na primeira epístola de Paulo a Timóteo: Capítulo 5 versículo 8;

¨Mas se alguém não tem cuidado primeiramente, com os da sua família negou a fé¨

Se nossa mãe ainda for viva e tivermos alguma mágoa, vamos tentar  reconciliar-nos. Perdoando a quem nos deu a vida.

Se nossas mães já partiram, ou não soubermos onde elas estão. Vamos também perdoar e pedir ao Pai, para que nossas orações cheguem até elas onde estiverem.

Pois Jesus na sua grande sabedoria, também nos ensinou que ¨O amor cobre uma multidão de pecados ¨

Muita paz

Espíritas amai-vos; espíritas instrui-vos.
Outubro 2017
S T Q Q S S D
« Maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores