As religiões tradicionais, porque não conseguem explicar de onde viemos, para onde vamos e por que estamos aqui, estão perdendo adeptos e vendo os questionamentos aumentarem para uma compreensão melhor da vida, Segundo o jornal The Sunday Times, nas igrejas evangélicas  escocessas 23% dos cristãos disseram não acreditar que Jesus foi alguém real.

Na Austrália – país em que, teoricamente, 61% dos habitantes professam a fé cristã- pesquisa do MeCrindle Research revela dados impressionantes. 47% dos australianos consideram a frequência à igreja  ¨irrelevante¨ – 26% não aceitam o que é pregado; – 24% acham a igreja antiquada, e 19%  não creem na Bíblia.

Pouco mais de 8% da população responderam que vão à igreja  pelo menos uma vez por mês. Os dogmas e tradições religiosas estão sendo questionados, é necessário mudar para uma compreensão mais lógica dos ensinos de Jesus e dos preceitos da fé raciocinada.

Somente a ideia das reencarnações progressivas está quebrando o monopólio das igrejas que deveriam ensinar o homem com relação à vida futura mas se mantêm cativas de um rito que não é mais aceito, do pecado original, de Adão e Eva, do céu e do inferno, do diabo e de outras considerações que mais levam ao descrédito que à crença lógica e verdadeira.

Nasce a esperança. O Espiritismo não é a religião do futuro, mas o futuro da religião, conforme Leon Denis. Através do conhecimento de Deus, do espírito, da imortalidade, da individualidade da alma, da reencarnação, da pluralidade de mundos  habitados, da comunicação com os espíritos, da lei de causa e efeito e do livre arbítrio, o futuro da religião vai demolir a teoria do céu e do inferno para demonstrar  a justiça Divina através  da pluralidade de existências corporais.

Texto escrito por Rodrigues de Camargo

Muita Paz a todos