You are currently browsing the monthly archive for Julho 2013.

Todos sabemos que estamos neste mundo de provas e expiações para aprendermos,   para evoluirmos espiritualmente, mas apesar de sabermos,  insistimos em viver uma vida de prazeres  esquecendo de buscar a nossa Educação Espiritual. O tempo passa e percebemos que as criaturas não são totalmente felizes.  Mas a a busca da felicidade  é sempre  pela melhor situação material.

Convivemos com as doenças, com as perdas dos entes queridos, com as dificuldades diárias, com as dificuldades nos relacionamentos  e muito de nós esquece de procurar o que realmente viemos buscar aqui no planeta terra . Esquecemos que vivemos num planeta de provas e expiações por isso não encontramos a felicidade total.

Educar o Espírito  não significa rejeitar as necessidades materiais e deixar de cuidar do corpo que nos foi emprestado por Deus para que possamos estar neste mundo, é simplesmente entender que o tempo que passamos aqui é muito rápido e que logo voltaremos para a pátria espiritual sem realizarmos aquilo que programamos. Buscar a prática dos ensinamentos do Mestre Jesus é a maneira mais prática de descobrimos o que realmente viemos fazer aqui.

É preciso aproveitar a atual reencarnação sabendo que a nossa principal tarefa é a Educação do Espírito,  para que possamos encontrar as alegrias do dever cumprido, estejamos encarnados ou desencarnados . Vamos começar agora a nos educar,  amar ao nosso próximo , para aproveitarmos a grande oportunidade que Deus nos deu  e ser vir a Deus.

Muita Paz

Segundo a doutrina de Sócrates e Platão  o homem é uma alma encarnada. Antes da sua encarnação, estaria  unida aos tipos  às ideias do verdadeiro, do bem e do belo; separa-se deles, encarnando, e,sente saudades do seu passado,  e tem o  desejo de voltar a ele .Encarnado, tem vaga intuição de que sempre viverá, isto é, a certeza de preexistência da alma, e as lembranças  que ela guarda de um outro mundo. O homem que diz não crer em nada da vida espiritual, ilude a si mesmo , achando que possui a verdadeira sabedoria em relação à maioria da humanidade.

Sócrates e Platão

Está aí o pensamento das almas obscurecidas, que não deixam penetrar os ensinos da lei de Deus. O  princípio da reencarnação parece absurdo, bem como a imortalidade da alma, fatos que para o homem esclarecido que busca a v vê claramente através dos ensinamentos mostradas pelo Evangelho.

Segundo Sócrates e Platão. após a nossa morte, o gênio (daimon, demônio), que nos fora designado durante a vida, leva-nos a um lugar onde se reúnem todos os que têm de ser conduzidos ao Hades, para serem julgados. As almas, depois de haverem estado no Hades o tempo necessário, são reconduzidas a esta vida em múltiplos e longos períodos.É a doutrina dos Anjos guardiães, ou Espíritos protetores, e das reencarnações sucessivas, em seguida a intervalos mais ou menos longos de erraticidade.

 O Cristianismo e o Espiritismo ensinam praticamente  a mesma coisa.

 Se a alma é imaterial, tem de passar, após essa vida, a um mundo igualmente invisível e imaterial, do mesmo modo que o corpo, decompondo-se, volta à matéria. Muito importa, no entanto, distinguir bem a alma pura, verdadeiramente imaterial, que se alimenta, como Deus, de ciência e pensamentos, da alma mais ou menos maculada de impurezas materiais, que a impedem de elevar-se para o divino e a retêm nos lugares da sua estada na Terra.

 Se a morte fosse a dissolução completa do homem, muito ganhariam com a morte os maus, pois se veriam livres, ao mesmo tempo, do corpo, da alma e dos vícios. Aquele que guarnecer a alma, não de ornatos estranhos, mas com os que lhe são próprios, só esse poderá aguardar tranquilamente a hora da sua partida para o outro mundo.

Equivale isso a dizer que o materialismo, com o proclamar para depois da morte o nada, anula toda responsabilidade moral ulterior, sendo, conseguintemente, um incentivo para o mal; que o mau tem tudo a ganhar do nada. Somente o homem que se despojou dos vícios e se enriqueceu de virtudes, pode esperar com tranquilidade o despertar na outra vida. Por meio de exemplos, que todos os dias nos apresenta, o Espiritismo mostra quão penoso é, para o mau, o passar desta à outra vida, a entrada na vida futura.  

Segundo Sócrates, os que viveram na Terra se encontram após a morte e se reconhecem. Mostra o Espiritismo que continuam as relações que entre eles e se estabelecem, de tal maneira que a morte não é nem uma interrupção, nem a cessação da vida, mas uma transformação.

Foi por haver professado esses princípios que Sócrates se viu ridiculizado, depois acusado de impiedade e condenado a beber cicuta. Nosso Mestre Jesus também passou por todo sofrimento por trazer a verdade, o amor e a consolação a toda humanidade.

Muita Paz

¨O Evangelho Segundo o Espiritismo ¨ – Introdução

Carta de Públio Lentulus ao Imperador Tibério César.

Eis aqui, enfim, a resposta que com tanta ansiedade esperáveis. Ultimamente apareceu na Judeia um homem de estranho poder, cujo verdadeiro nome é Jesus Cristo, mas a quem o povo chama  ¨ O Grande Profeta ”  e seus discípulos,  ¨ O filho de Deus ¨. Diariamente contam-se dele grandes prodígios:  ressuscita mortos, cura todas as enfermidades e traz assombrada toda Jerusalém com a sua extraordinária doutrina.

Publio

´É um homem alto e de majestosa aparência;  sua face, ao mesmo tempo severa e doce, inspira respeito e amor a quem a vê seu cabelo é da cor do vinho e desce ondulado sobre os ombros; é dividido ao meio, ao estilo nazareno; sua fronte pura e altiva; sua cútis pálida e límpida; a boca e o nariz são perfeitos; a barba é abundante e da mesma cor dos cabelos; as mãos finas e compridas; os braços de uma graça encantadora; os olhos azuis plácidos e brilhantes.

É grave comedido e sóbrio em seus discursos. Repreendendo e condenado, é terrível; instruindo e exortando, a sua palavra é doce e acariciadora. Ninguém o viu rir, mas muitos o têm visto chorar. Caminha com pés descalços e a cabeça descoberta. Vendo-o a distância há quem o despreze, mas em sua presença não há quem não estremeça com profundo respeito.

Quantos se acercam dele,  dizem haver recebido enormes benefícios, mas há quem o acuse de ser um perigo para Vossa Majestade, porque afirma publicamente que os reis e os escravos são todos iguais perante Deus ¨

Fonte: Manuscrito arquivado na Biblioteca da Ordem Lazaristas em Roma.

Muita Paz

(O Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo V – BEM-AVENTURADOS OS AFLITOS)

  Quando Jesus falou sobre o sofrimento não fez apologia a este. A finalidade era   um chamamento a nos lembrar sobre a lei  de ação e reação, pois não viemos a este planeta para sofrer mas para passar por provas e expiações  para continuarmos  a nossa evolução.

     Nem sempre resgatamos nossos débitos na  existência atual, podem ser débitos que devemos de vidas anteriores, e que concordamos em expiar na  atual.  Se  não expiarmos  hoje, expiaremos  amanhã, essa é a lei.  O sofrimento que nos parece  imerecido tem a sua razão de ser, e aquele que se encontra em sofrimento deveria dizer:

 Senhor ! Seja feita a tua vontade!

EU PRECISO DE TI SENHOR

 Quando  estamos   em sofrimento, nossa primeira atitude é pedir a Deus para abona-lo, isto acontece porque esquecemos que  eles fazem parte da nossa programação, e que Deus nosso Pai,  não nos dá uma prova maior daquela que podemos suportar . Muitas vezes o que julgamos ser sofrimento é algo que um dia agradeceremos.

            Sofrimento: dor física; angústia, aflição, amargura; infortúnio, perda de entes queridos.

 A Terra, é um planeta de expiações e provas, no qual renascem Espíritos  comprometidos perante a Lei de Deus. Por isso a Terra ainda não é um lugar onde se possa viver sem incômodos, sem lutas e sofrimentos.

 Os sofrimento são conseqüências de violações, abusos, que praticamos nas várias reencarnações e do desrespeito com  as Leis Divinas. porém,   é o remédio para as imperfeições do Espírito, para as enfermidades da alma. Sem isso não é possível a cura.

Diante do sofrimento desesperamos, revoltamo-nos, ficamos abatidos. Por quê? Porque a ignorância faz-nos ter aversão a padecimentos, Para entendermos  é preciso que elevemos a nossa visão,  para adquirirmos a fé raciocinada. E aceitarmos que  não é o sofrimento físico, a perda de entes queridos, as provações, a miséria, mas tudo aquilo que adiar,  o nosso adiantamento Espiritual.

Qual deveria ser a nossa  atitude diante  dos sofrimentos?   – A  “Conformação ¨   aceitando os sofrimentos  com resignação, sem revolta, sem recriminação, “aceitando-o” como remédio amargo,  mas imprescindível que deve restituir a saúde do corpo e a paz do Espírito.

Muita Paz

Espíritas amai-vos; espíritas instrui-vos.
Julho 2013
S T Q Q S S D
« Jun   Ago »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores