Falar em público é uma das mais fascinantes e perigosas artes. Sendo capaz de envolver o ser humano  num clima de bem estar, de esperança e consolação como pode levá-lo  ao desespero, a culpa até mesmo à loucura. Desde a mais remota antiguidade o poder do discurso  exerce o poder de convencer as pessoas. Na educação, na política, na religião, a grande questão é a incoerência , quando há uma diferença entre falar e praticar.

palestra

O grande desafio  dos palestrantes é tocar os sentimentos dos ouvintes, penetrando em suas almas. Porém é lamentável quando  não admitem  as suas imperfeições.  ¨Seja , porém tua palavra, sim, sim; não, não. ( Mateus, 5:37)  Não podemos pregar aquilo que não praticamos!

A Doutrina Espírita nos ensina  através das palavras de Allan Kardec que:  ¨Reconhece-se o verdadeiro Espírita pelo esforço que faz para domar suas más tendências. Isso significa trabalhar constantemente pela sua reforma intima, reconhecendo que ainda não é perfeito, mais que trabalha incansável pela sua lapidação.

O palestrante Espírita  jamais fala somente para os seus semelhantes. ele também  está ouvindo,  fala principalmente para ele mesmo, pois sabe que o primeiro a ouvir, é ele próprio. Ele não se considera um iluminado que está ensinando como os irmãos devem viver, apenas está passando as palavras do Mestre Jesus,   pois   estuda  a Doutrina Espírita,  e tem facilidade de falar em público.

Os palestrantes não podem esperar a perfeição para passar os ensinamentos  que  o nosso Divino Mestre nos deixou. Todos precisam conhecer a verdade juntos, estudar juntos, buscando assim a nossa evolução Espiritual com a ajuda dos Espíritos superiores que ajudam a quem está disposto  a passar a verdade.   ¨Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará ¨

Muita Paz