Não acreditamos no nosso poder de transformação, desta forma buscamos um disfarce perantes os outros, anulamos os nossos defeitos e enganmos a nós mesmo  afirmando que somos pessoas boas,  compreensivas e humildes. 

Passamos a usar máscaras para esconder os nossos defeitos, não entendemos que não somos totalmente bons ou maus e que deveríamos enfrentar as nossas dificuldades internas. Precisamos nos conhecer, analisar como realmente somos para que possamos com maturidade encarar as nossas fraquezas.

Não há necessidade de  esconder de nós mesmo quem somos, fica difícil  controlar as nossas emoções sem culpas,  com isso passamos a exigir  uma postura do nosso próximo parecida com a nossa, e não  tentamos  compreender as razões e as dificuldades do nosso semelhante.

Sofremos quando permitimos que os outros nos dominem, quando deixamos que a opinião alheia interfira nos nossos pensamentos e ações, amigos, pais, conjuges, pois tentando agradá-los muitas vezes mascaramos a nossa personalidade.

Portanto evitemos posições  superiores, esperando que as pessoas que estão a nossa volta nos julgue   perfeitos, isto não nos faz bem, pois  sabemos que não somos.

A aceitação de nós mesmo  e do nosso  semelhante  é o primeiro passo para nossa transformação interior, não adianta fugir para outro lugar para sermos diferente. O importante é nos assumir como realmente somos, aonde vivemos perto de quem amamos.

Libertemo-nos das nossas máscaras para sermos criaturas resolvidas interiormente,  entendendo como funciona o nosso mundo interior. Somente livres das necessidades de mostrar ao mundo que somos perfeitos, é  que realmente poderemos buscar a perfeição.   

Muita Paz