You are currently browsing the monthly archive for Julho 2012.

Muitos perguntam qual a utilidade de Jesus ter ensinado por parábolas se o povo não entendia? Na realidade Jesus ensinou por parábolas os ensinamentos mais profundos, pois seria necessário uma reflexão para melhor entendimento.

 

Mas o ensino básico que é o amor, o perdão, a paciência, a caridade e outros como condição expressa para a salvação, foi perfeitamente claro, explicito e sem ambiguidade. Quem estava um pouco mais elevado espiritualmente como era o caso dos seus apóstolos conseguia entender os ensinamentos através das parábolas.

Por isso Jesus disse; ¨Aquele que já têm, será dado mais ainda ¨ Apesar de seus apóstolos serem mais evoluidos,  receberam  seus ensinamentos de maneiras diversas, dando origem a várias interpretações. O Espiritismo veio para ajudar a decifrar  uma multidão de pontos obscuros.

A espiritualidade superior procede em suas instruções  com uma admirável prudência.   E os ensinamentos começaram a ser dados aos poucos à medida que o  desenvolvimento da humanidade crescia. Se fosse dado de uma so vez,  seria acessível somente a um pequeno número. Ainda nos será revelado muitas coisas que no momento não temos condições de entender .

Tudo tem seu tempo certo, uma ideia deve amadurecer  e se propagar antes de aparecer outra, até que tenhamos condições de entender e  aceitar novas verdade.

Muita Paz

 Quando alguém não quiser vos receber, nem escutar vossas palavras, sacudi, em saindo dessa casa ou dessa cidade, o pó de vossos pés..

Nossas atitudes em relação a nossa crença  devem nascer dos nossos corações  da nossa convicção intima e jamais  reagir contra a crença do nosso irmão.  Não devemos tentar impor ao outro a nossa realidade como se a nossa crença  fosse a melhor para traduzir as leis divinas.

 

Sentimos realmente desejo de orientar de indicar o nosso caminho   para que as pessoas que estão a nossa volta   possam conhecer o caminho da verdade,  mas devemos respeitar o momento de cada um para adquirir   novos conhecimentos  com maturação  pessoal.

Nos relacionarmos com afeto com irmãos que não querem ouvir as nossas palavras  é mostrarmos que não temos a pretensão  de sermos os únicos  possuidores das verdades de Cristo. A vida maior tem diversas formas de levar o ser ao desenvolvimento espiritual.

Lancemos as sementes sem a pretensão de converter os nossos irmãos, cada um tem o momento certo.  Ao aceitarmos o nosso semelhante,  respeitando suas opiniões, conceitos e preconceitos, estamos trabalhando  o nosso  desenvolvimento espiritual.

Há criaturas intransigentes, rigorosas que não entendem e que não aceitam novas verdades. Se não quiserem nos ouvir e nem aceitarem a nossa amizade em virtude da nossa crença, silenciaremos sem qualquer reação de convencimento. Prossigamos convictos do nosso ideal de exercitar e divulgar a nossa doutrina esclaredora e consoladora em prosseguimento com os ensinos do nosso Mestre Jesus.

¨ Assim diz hoje o Espiritismo aos seus adeptos: não violenteis, nenhuma consciência; não forceis ninguém a deixar sua crença  para adotar a vossa…¨  .

Muita paz

 A despedida de Jesus Cristo  aconteceu durante a última ceia. Após anunciar sua partida em breve para um lugar ignorado e inacessível aos apóstolos ele disse: ¨ … por pouco tempo ainda estou convosco… ¨  ¨ e para onde vou vós não podeis  ir¨…

Os apóstolos ficaram inquietos e Pedro queria saber aonde era esse lugar. Ele continuou consolando ¨ Não  perturbe o vosso coração ¨.  E que acreditassem  em Deus nosso Pai e também nele.  Pois  para onde ia,  haveria lugar para todos, pois são muitas as moradas na casa do Pai, e que ele iria na frente para preparar as acomodações para todos.

E acrescentou;  ¨ E para onde vou, conheceis o caminho ¨  Jesus continua falando e os apóstolos sem entender as palavras de Jesus. Essa conversa era uma consolação para seus apóstolos. Ele recomendou a prática do amor fraterno e a prática dos seus ensinamentos.

Em tom consolador Jesus continua: ¨ Se me amais observareis meus mandamentos e eu rogarei ao Pai, para vos mandar um outro consolador que permanrcerá convosco para sempre, O Espírito da Verdade, que o mundo ainda não pode acolher, porque não o vê e não o conhece.

O povo daquela época não tinha condições de entender  as novas verdades, aspectos mais trancendentais da realidade espiritual. Os povos conheciam um Deus vingador que condenava seus filhos ao fogo eterno dependendo do seu comportamento.

Jesus veio  mostrou a bondade e a justiça do Pai. Jesus não deixou nenhuma religião, apenas o amor e o perdão. A compreensão ante as dificuldade do próximo. Ensinou sobre a imortalidade da alma, a reencarnação e a comunicação entre encarnados e desencarnados, fatos que não encontramos como ¨  ¨Pecados ¨ no Novo Testamento ¨ .

Jesus Cristo Nosso Consolador, Nosso irmão Maior, rogou ao Pai outro consolador, que chegou até nós através da Codificação feita por Allan Kardec,  ¨ O Espiritismo ¨ que veio dar continuidade aos ensinamentos do nosso Mestre Jesus o nosso maior  ¨ Consolador ¨

Muita Paz 

 Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. olhai as aves do céu, que não semeiam e vosso Pai Celestial as alimenta. E quanto ao vestuário ; olhai os lírios do campo, não trabalham nem fiam.

Não andeis inquietos dizendo: Que comeremos? que beberemos? Com que nos vestiremos?  Homens de pouca fé!  Não te inquietes pelo dia de amnhã. O dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia  o seu mal. Essa passagem de Jesus, que está no Evangelho de Mateus, nos tranquiliza quanto o amanhã, pois  o medo do amanhã nos distancia do presente imobilizando as nossas realizações, fazendo nascer o medo do fracasso. Saibamos esperar  os fatos  que podem ou não acontecer.

Desperdiçamos tempo e energia  com medo de  coisas que podem acontecer e que  não temos controle.  Doenças, mortes, perda de amores ou financeiras,  com isso deixamos de desfrutar o que de bom está acontecendo  hoje, deixamos de  aproveitar  o que estamos vivendo nesse momento.

Lógico que não podemos confundir preocupação com cautela. Ser cauteloso consiste em realizar planos para o futuro. Cautela é um ato sensato, mas preocupação excessiva  anula  muitas vezes  os projetos que temos para amanhã. Não devemos nos inquietar pelo dia de amanhã  pois este pertence a Deus.

Deus sempre nos dá o que é necessário. Quando há confiança existe fé, e é essa fé que abre os nossos caminhos  para a manuntenção e prosperidade da nossa existência. A cada dia basta o seu mal.

Muita Paz

Não conseguimos enxergar a verdade, pois as ilusões  nos impedem, projetamos  nos outros o que não conseguimos  aceitar em nós. Tentamos nos livrar dos nossos erros culpando os outros. Sempre foi assim,  no Velho Testamento Adão tenta livrar-se do  pecado acusando Eva, que o levou a pecar. Eva  culpa a serpente que a enganou e a conduziu ao pecado. Assim somos todos nós.

Não conseguimos enxergar nossos erros, nossos defeitos, nossas fraquezas. Muitos de nós vivemos uma infância que a repreensão exagerada nos obrigou a esconder nossos erros com medo de castigos pelos pais severos, então reprimos nossas emoções sempre buscando um culpado. Essa é  mais uma das desculpas que encontramos para nossas dificuldades.

Sentir medo, raiva é uma condição normal do ser humano. Mas para encontrarmos  a verdade é necessário nos conhecermos.  Buscando o equilibrio a integração das nossas energias. É importante  pararmos  de nos reprimirmos, somente conhecendo e  aceitando  os nossos erros,  teremos condições de corrigí-los.

Buscamos como certo alguns conceitos que aceitamos como verdade e  que muitas vezes nos  machuca. Machucando também   aos nossos semelhantes.  Maneiras erradas de ver a sexualidade, a religião, o casamento, as raças, as profissões, essa visão  nos distanciam  da realidade das situações e das criaturas com as quais estão à nossa volta.

Vejamos os nossos irmãos  com os olhos espirituais ela é mais ampla que a visão física. Somente assim estaremos cada vez mais perto  da verdade. Daquela verdade que se referia o nosso Mestre Jesus quando nos disse: ¨Conhecereis a verdade e a verdade nos libertará ¨. Nos libertará dos preconceitos, dos julgamentos, da vaidade  e do orgulho.

Muita Paz  

Sentir-se responsável pelo próprio sofrimento é algo muito difícil para nós seres humanos.Normalmente acusamos a vida, a sociedade. Assumirmos que somos vítimas é bem mais fácil. Aprendermos a nos desculpar dos nossos erros culpando aos outros, a nossa criação, nossos pais, o nosso passado.

Não percebemos que somos nós os donos do nosso destino, culpamos o nosso passado, e esquecemos que o presente determina o nosso futuro. Quando acreditamos ser vítimas da fatalidade, apontamos constantemente o mundo como culpado dos nossos infortúnios.

Nos defendemos  dos nossos sofrimentos das nossas  dificuldades, achando sempre culpados para nossos sofrimentos. Na realidade ninguém pode fazer-nos agir ou sentir sem a nossa permissão. Precisamos aprender a assumir o comando da nossa própria vida.

Ao invés de atribuirmos ao mundo e aos outros  as nossas derrotas e fracassos, lembremos que todos os seres tem as suas dificuldades e angústias, mas cabe a nós amenizá-las buscando o entendimento  para atingirmos as metas para dirigirmos a nossa própria existência.

Muita paz

Espíritas amai-vos; espíritas instrui-vos.
Julho 2012
S T Q Q S S D
« Jun   Ago »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores