O Espiritismo nos ensina que existe uma interação muito profunda entre o espírito (mente) e o corpo físico. Este é também o parecer de muitos estudiosos da ciência médica, que chegaram a esta conclusão após várias pesquisas.

Situando doenças e doentes desta verdade, vamos entender porque as pessoas têm reações diferentes quando acometidas por doenças.
Doentes e doenças são questões idênticas na base, mas com reflexo diferenciados. É impossível separar o físico do espírito, pois, se o físico é a máquina corporal que se movimenta, somente consegue existir porque recebe os impulsos e a energia que o espírito lhe oferece.

Quando pensamos, criamos mentalmente de acordo com a nossa mente. Isto equivale a dizer que as construções mentais serão benignas ou malignas, dependendo do nosso estado emocional no momento. Sendo assim, vivemos em função daquilo que pensamos, mas, raramente nos damos conta dos reflexos que os pensamentos têm sobre nós mesmo.

A qualidade dos nossos pensamentos influencia o nosso organismo físico, e devido a este mecanismo, estabelecemos o bem-estar e a saúde se estivermos em sintonia com o equilíbrio emocional; ou podemos contrair alguma doença se estivermos desenvolvendo pensamentos negativos capazes de atingir a estrutura física do nosso corpo.

O nosso comportamento como um todo, é responsável pela maioria das doenças que nos atingem. O espírito em desarmonia, emite energia também desarmônica que acaba influenciando o corpo físico, permitindo o desequilíbrio das células ou então, deixando de oferecer resistência às invasões bacterianas.

Instaladas a doença, esta irá se desenvolver, entre outros fatores, de acordo com a postura mental do paciente. Está confirmado que, se o doente movimentar suas energias de forma positiva, e com esperança, enfrentando o problema como sendo um acontecimento que faz parte das ocorrências terrenas, terá maiores possibilidades de chegar à cura.

Doentes sofrendo do mesmo mal, podem apresentar comportamentos totalmente diferentes que chegam a influencia o estado geral da pessoa.
Viver o momento da doença sem revolta, sempre na esperança de melhores, ajuda na renovação das células doentes e do bem-estar geral. Além do que, também impedem que a pessoa se comprometa para o futuro em vistas dos dias difíceis que atravessa.
No período da doença devemos adotar um comportamento de confiança e fé, e com isto permitimos que nos chegue a ajuda do Alto através dos benfeitores espiritual, que nos envolvem em vibrações elevadas.

Não podemos esquecer que os males físicos ainda fazem parte do Planeta Terra e não devem ser entendidos com castigo. São decorrências naturais do nosso próprio viver de ontem ou de hoje.

Muita Paz

Anúncios