You are currently browsing the monthly archive for Maio 2012.

A maioria dos espíritas conhece os ensinamentos de Jesus. O Evangelho é lido, relido, e estudado nos centros e nos lares, mas a grande dificuldade está  em sua prática, em aplicá-lo nas nossas atitudes, palavras, pensamentos e ações. Muitos pensam  ¨Eu pratico esses ensinamentos¨. Mas se começarmos a observar nossas reações mais intimas às situações indesejadas, aos conflitos do nosso dia a dia, até mesmo ao conteúdos dos nossos pensamentos, perceberemos que a reforma interior ainda não alcançou as camadas mais profundas do nosso eu interior.

Nas palestras, com poucas exceções, o que foi exposto vai perdendo efeito rapidamente  nas menstes dos ouvintes e, horas mais tarde, já esquecemos. No dia seguinte muitos de nós já esqueceu o tema. Por isso a importância do estudo do Evangelho. E se esse estudo for realizado em grupo a assimilição é maior.

A leitura do tema, a discussão sobre o tema, são fundamentais para a fixação e a lembrança posterior ao que foi estudado. Reunam-se  com seus familiares ou com alguns amigos e comecemos o estudo da Doutrina espírita com o  ¨O Evangelho Segundo o Espiritismo ¨

Muita Paz 

Apesar das informações que são divulgadas através de filmes, novelas etc.., percebemos que muitas pessoas simpatizantes do espiritismo, ainda crêem que depois do desencarne viramos ¨santos ¨. O desencarne não muda a nossa personalidade, continuamos sendo os mesmos. Apenas abandonamos o corpo que no momento não nos serve mais.

O que somos continuamos também depois do desencarne,  se somos bons continuamos¨ bons ¨ se maus continuaremos  ¨maus ¨ .  Somos responsáveis pelos nossos atos encarnados ou desencarnados. Na questão 361 em  ¨O Livro dos Espíritos ¨Kardec pergunta à espiritualidade:

 

De onde vêm,  para o homem, as qualidades morais, boas ou más? Resposta: – São as do espírito que está encarnado nele; quanto mais o espírito é puro, mais o homem é guiado para o bem. ¨ O corpo não dá as qualidades morais. Nós a possuímos e as levamos após o desencarne, e trazemos quando encarnamos.

Para compreendermos esse acontecimento, precisamos buscar nas obras básicas da codificação a explicação  para a passagem que está em  ¨João ( Epístola 1ª cap. IV, v1 ) Não creiais em qualquer espírito; experimentai se os espíritos são de Deus, porquanto muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. ¨

Muita Paz

 O Espiritismo nos ensina que existe uma interação muito profunda entre o espírito (mente) e o corpo físico. Este é também o parecer de muitos estudiosos da ciência médica, que chegaram a esta conclusão após várias pesquisas.

Situando doenças e doentes desta verdade, vamos entender porque as pessoas têm reações diferentes quando acometidas por doenças.
Doentes e doenças são questões idênticas na base, mas com reflexo diferenciados. É impossível separar o físico do espírito, pois, se o físico é a máquina corporal que se movimenta, somente consegue existir porque recebe os impulsos e a energia que o espírito lhe oferece.

Quando pensamos, criamos mentalmente de acordo com a nossa mente. Isto equivale a dizer que as construções mentais serão benignas ou malignas, dependendo do nosso estado emocional no momento. Sendo assim, vivemos em função daquilo que pensamos, mas, raramente nos damos conta dos reflexos que os pensamentos têm sobre nós mesmo.

A qualidade dos nossos pensamentos influencia o nosso organismo físico, e devido a este mecanismo, estabelecemos o bem-estar e a saúde se estivermos em sintonia com o equilíbrio emocional; ou podemos contrair alguma doença se estivermos desenvolvendo pensamentos negativos capazes de atingir a estrutura física do nosso corpo.

O nosso comportamento como um todo, é responsável pela maioria das doenças que nos atingem. O espírito em desarmonia, emite energia também desarmônica que acaba influenciando o corpo físico, permitindo o desequilíbrio das células ou então, deixando de oferecer resistência às invasões bacterianas.

Instaladas a doença, esta irá se desenvolver, entre outros fatores, de acordo com a postura mental do paciente. Está confirmado que, se o doente movimentar suas energias de forma positiva, e com esperança, enfrentando o problema como sendo um acontecimento que faz parte das ocorrências terrenas, terá maiores possibilidades de chegar à cura.

Doentes sofrendo do mesmo mal, podem apresentar comportamentos totalmente diferentes que chegam a influencia o estado geral da pessoa.
Viver o momento da doença sem revolta, sempre na esperança de melhores, ajuda na renovação das células doentes e do bem-estar geral. Além do que, também impedem que a pessoa se comprometa para o futuro em vistas dos dias difíceis que atravessa.
No período da doença devemos adotar um comportamento de confiança e fé, e com isto permitimos que nos chegue a ajuda do Alto através dos benfeitores espiritual, que nos envolvem em vibrações elevadas.

Não podemos esquecer que os males físicos ainda fazem parte do Planeta Terra e não devem ser entendidos com castigo. São decorrências naturais do nosso próprio viver de ontem ou de hoje.

Muita Paz

Sabemos que a responsabilidade que foi colocada nos ombros dos cristãos e dos espíritas é muito grande. Temos a tarefa de ajudar aos que ainda não conhecem a verdade, é  o que o mundo espiritual e Jesus espera de cada um de nós. A criatura, precisa entender a realidade inevitável da reencarnação.

 

Jesus Cristo com toda certeza previu as dificuldades que íriamos encontrar, todas as idéias novas são difícieis de serem aceitas de imediato e com o Espiritismo não poderia ser de outra forma, porque os fenômenos espíritas são tão antigos quanto à criatura humana.

Para nós espíritas foi reservada  a tarefa de clarear a essência desta doutrina esclarecedora e consoladaora, as civilizações antigas tiveram conhecimento do fenõmeno. Mas a explicação científica só com a terceira revelção pode ser explicada. A responabilidade da Codificação e  pela divulgação correta da Doutrina Espirita,  está em nossas mãos . Mostrar a luz da verdade, e os ensinamentos do nosso irmão irmão maior  que estão pouco a pouco sendo  implantada nos nossos corações.

Nossa missão é de  mostrar a transformação  que opera dentro dos nossos corações com o conhecimento da verdade. É isso que Jesus espera de nós.  Que cada criatura prepare o seu coração para receber as sementes de amor caridade e perdão, e entendimento do Cristianismo

Muita Paz.

Hoje comomora-se o dia das mães em muitos países. Muitos reclamam pois achamque é uma data puramente comercial pois se vêem forçados a presentear suas mães.  Mas neste dia podemos realmente lembrar das mães mulheres que carregaram seus filhos no ventre, acompanharam seu crescimento e mesmo depois que se tornam adultos ainda  conseguem tirar o sono de sua mãe.

Mães que não carregaram seus filhos no ventre mas que carregam nos seus corações. As mães adotivas, as mães tias, avós, madrinhas e a muitos homens que na falta da mãe dos seus filhos transformam-se em PÃE!  Ralmente o dia das mães é bastante explorado pelo comércio isso realmente é verdade. Mas muitos filhos só lembram de suas mães neste dia!

O dia das mães é comemorado em muitos paises,  em datas fixas ou variáveis como é aqui no Brasil. Desde a Grécia antiga existe a comemoração da mãe dos Deuses. Nos Estados Unidos houve uma sugestão para esse evento em 1872, mas não foi fixado.  Foi oficializada em 1914 pelo presidente da época.

No inicio do século XX uma jovem perdeu a mãe e entrou em profunda depressão e suas amigas resolveram perpetuar  a memória da mãe de Annie, fazendo uma festa.  Annie quis que essa festa fosse dedicada a todas as mães vivas e mortas e repetiram a festa durante  alguns anos,  alastrando-se por todo os Estados Unidos, sendo oficializada para o dia 09 de maio.

Nos Evangelhos de Marcos, Lucas, e Mateus, vamos encontrar essa passagem que foi recebida po Moisés quando este recebeu os dez mandamentos.  ¨Honrai vosso Pai e vossa mãe ¨ esse ensinamento foi ratificado por Jesus Cristo quando esteve aqui entre nós. Jesus repetiu esse ensinamento quando falou da piedade filial, que é um sentimento inspirado no amor e na gratidão.

Hoje a lei do homem algumas vezes obriga o filho a alimentar a mãe ou o pai velho, sem recursos que não tem como se alimentar. Muitos filhos alegam que não gostam de seus pais alegando que eles não foram bons pais ou mães. Realmente  isso muitas vezes  acontece, mas precisamos entender que esses pais fracassaram na sua missão e que  isto não cabe aos filhos julgarem!

Podemos até não amá-los, mas temos a obrigação de ampará-los, eles talvez não nos deram amor, mas nos deram a vida, precisamos entender que não tivemos esse pai ou essa mãe por acaso, pois o acaso não existe!  Deus ensinou através de Moisés e Jesus Cristo ratificou ¨Honrai teu Pai e tua mãe¨ Ele NÃO disse: Acolhei os vosso pai e vossa mãe SE eles foram bons. Aceitamos os nossos pais na nossa programação e eles também nos aceitaram. Se eles falharam não precisamos fazer igual.

Se nossa mãe ainda for viva e tivermos alguma mágoa, vamos nos reconcialiar perdoando aquela que nos criou. Se já partiu oremos por ela, pois nossas orações chegarão até  ela,  e com certeza ela  receberá a graça do nosso pderdão.  Meus irmãos Jesus nos ensinou que ¨O amor cobre uma m ultidão de pecados ¨

Muita paz

Todos os centros espíritas devem promover o estudo da doutrina espírita. Estamos sendo alertados pela espiritualidade superior para sermos vigilantes. Seria muito importante estimular o estudo das obras básicas.O ESDE é uma das principais atividades  das casas espíritas brasileiras, sendo um método pedagógico  e eficiente  para aqueles  que se cadidatam a conhecer a verdade.

Porém é importante o preparo eficiente dos seus instrutores, e isso é um desafio para quem abraça esta causa . O   ESDE promove  o enriquecimento  intelectual  do frequentador, fortalecendo o seu livre arbítrio e facilitando a sua reforma intima.

Outro desafio é a constatação que muitos instrutores não estão preparados para esta tarefa. O treinamento para instrutores é importante para um desempenho adequado. Os frequentadores  são adultos  com vontade de conhecer o espiritismo. Não basta conhecer a Doutrina o importante é tentar colocá-la em prática.

Perfil do instrutor: Conhecer a Doutrina Espírita, ser organizado, ser humilde, dinâmico, estimular a leitura nos frequntadores, ser assíduo e pontual, diversificar as aulas, estimular a auto avaliação.  O instrutor é um espírita que deve seguir a orientação do codificador. ¨Espírita Amai-vos, espíritas instruí-vos ¨

Muita Paz

 

O dever é a obrigação moral, diante de si mesmo primeiro, e dos outros em seguida. O dever é a lei da vida; ele se encontra nos mais ínfimos detalhes, assim como nos atos elevados. Não quero falar aqui senão do dever moral, e não daquele que as profissões impõem.

Na ordem dos sentimentos, o dever é muito difícil de ser cumprido, porque se acha em antagonismo com as seduções do interesse e do coração; suas vitórias não têm testemunhas, e suas derrotas não têm repressão. O dever intimo do homem está entregue ao seu livre arbítrio; o aguilhão da consciência, esse guardião da probidade interior, o adverte e sustenta, mas permanece, frequentemente, impotente diante dos sofismas da paixão. O dever do coração, fielmente observado, eleva o homem, mas esse dever, como o precisar? Onde começa ele? Onde se detém?

O dever começa precisamente no ponto em que ameaçais a felicidade ou tranquilidade do vosso próximo, termina no limite que não gostaríeis de ver ultrapassado em relação a vós mesmo. Deus criou todos os homens iguais para a dor, pequenos ou grandes, ignorantes ou esclarecidos, sofrem pelas mesmas causas, a fim de que cada um julgue judiciosamente  o mal que pode fazer.

O mesmo critério não existe para o bem, infinitamente mais variado em suas expressões. A igualdade diante da dor é uma sublime previdência de Deus, que quer que seus filhos, instruidos pela experiência comum, não cometam o mal argumentando com a ignorância  dos seus defeitos.

O dever é o mais belo laurel da razão, depende dela como o filho depende de sua mãe. O homem deve amar o dever, não porque o preserve dos males da vida, aos quais a humanidade não pode subtrair, mas porque dá a alma o vigor necessário ao seu desenvolvimento.

O dever cresce e irradia sob mais elevada forma em cada uma das metas superiores da humanidade, a obrigação moral não cessa jamais da criatura para co Deus, ela deve refletir as virtudes do Eterno que não aceita um esboço imperfeito, porque quer que a beleza da sua obra  resplandeça diante dele.

Muita Paz

¨ O Evangelho Segundo o Espiritismo¨- Lázaro – Paris, 1863

Em Mateus Capítulo V v7, vamos encontrar uma passagem em que Jesus refere-se ao perdão:  ¨Se perdoardes aos homens as faltas que eles fazem contra vós, vosso Pai Celestial vos perdoará também vossos pecados, mas se não perdoardes aos homens quando ele vos ofendem, vosso Pai, também, não vos perdoará os pecados ¨

Essa passagem está ligada a oração do Pai Nosso quando pedimos  ao Pai:  ¨Pai perdoai as nossas ofensas, assim como nós  perdoamos aos que nos ofenderam ¨ Na verdade o perdão que Jesus veio nos ensinar é aquele que respondeu a Pedro, quando este lhe perguntou quantas vezes deveria perdoar  um irmão quando o ofendesse.

Que  seria  setenta  vezes sete. Isso significa perdoar sempre. Seria o perdão das crianças, que depois de se ofenderem, voltam a brincar sem guardar nenhuma mágoa nos corações. Mas Jesus sabia que na nossa atual evolução não conseguiríamos perdoar desta maneira.

Então na sua sabedoria nos ensinou a  ¨Amar os nossos inimigos ¨ , ele veio nos ensinar a essência do amor, que é o perdão total, mas sabia que ainda não poderíamos sentir pelo nosso inimigo o que sentimos por um amigo.  Isto até porque resulta de uma lei física da assimilação e repulsão das vibrações.

Amar os inimigos significa não sentir ódio, nem desejo de vingança, até porque vingança não cura dor.  Mas desejar-lhes o bem e orar por todos aqueles que nos ofenderam.

Perdoar é ter compaixão. Perdoar é um  modo de viver.  Não adianta dizermos que perdoamos e dentro do nosso coração continuarmos  sentindo mágoa, sofrendo ao lembrar a ofensa sofrida. Perdoar não é sofrer!    Que adianta dizer eu perdoei, mais viver remoendo dia a dia o mal que recebeu. Isto nos leva a exaustão intima e profunda.

Uma ferramenta básica para aprendermos a perdoar é manter-nos a uma distância psiquica, dos problemas das discussões. Bem como dos diálogos mentais que giram constantemente em nossas mentes. Aí sim! conseguiremos perdoar  aqueles irmãos que nos ofenderam.

Viemos a este mundo de provas e expiações, para resgatar os nossos débitos e nos reconciliarmos com os nossos adversários. para que possamos caminhar rumo à plenitude. Mas Deus nosso Pai não tem pressa ele nos dará tantas chances quantas forem necessárias  para alcançarmos a nossa evolução espiritual.

Muita Paz

Espíritas amai-vos; espíritas instrui-vos.
Maio 2012
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores