Muitos irmãos alegam não temer a morte nem os castigos de Deus, pois nunca fizerem mal a ninguém. Será que esta conduta é suficiente?  Essa indiferença com o próximo é uma conduta comoda. –  Não faço o mal a ninguém,  mas também não faço o bem.

Em o ¨O Livro dos Espíritos ¨ pergunta 642, Allan Kardec pergunta à espiritualidade: Será suficiente não se fazer o mal para ser agradável a Deus e assegurar uma situação futura? Resposta:  – Não. É preciso fazer o bem no limite das próprias forças, pois cada um responderá por todo mal que tiver ocorrido por causa do bem que deixou de ser feito.

 

A indiferença é responsável pelo mal que acontecer à sua volta. A justiça de Deus é perfeita, ninguém  consegue barganhar com o  Criador. Deus deu a todos a inteligência para distinguir entre o bem e o mal. E o bem é tudo aquilo que está conforme as leis de Deus.

Quando estivermos em dúvida do que vamos fazer a um  irmão é certo ou errado.  Analisemos o ensinamento de Jesus quando ele nos disse: ¨ Não façamos ao outro, aquilo que não gostaríamos que nos fizessem ¨

Muita Paz