¨Absorto eu contemplava um pequenino inseto, e o inseto movia-se lépido. E de repente tive uma sensação de que o Senhor o movomentava…

Então me apercebi que a visão dos meus olhos era a vontade do Senhor, que do meu olhar o contemplava.

E o inseto movia-se rápido, atraído pelo odor do açúcar, e pude entender que o Senhor, no odor do açúcar, o guiava.

E o açucar exalava  seu dulçor… E era o senhor, que em dulçor , no açucar se ofertava!

E fiquei feliz, muito feliz com o Sehor, na felicidade de sentir no Senhor  a felicidade que o Senhor em mim sentia!

Então, de minha alma deslumbrada ecoou  um murmurio suspirante: o que és tu, afinal, oh vida minha, que me fazes ser quando estou contigo e em mim faz-me crer que sejas minha?

E em replica, crescendo, um quase clamor rolou incendendo-se dos seres e das coisas,ressoante dominante desde meu ser:

Eu sou tu!

Sou o que existe. Sou o que vive a um só tempo em ti e em todas as criaturas; Sou ele. Sou tu, Sou eu,expressado nas grandezas com que me manifestem!

Sou o universo nas dimensões em que me realizo. Sou a essência da vida. O que se move eternamente;  a causa e o efeito, o princípio e o fim, O Supremo Arquiteto do Universo.

Sou a sintese  da consciência do Todo;Sou a Gênese do Amor!

De Cézar Barnas Lobo

Cedido por josé Roberto de Carvalho 

Muita Paz