Ser espirita – é ser clemente,

É ter a alma de crente,

Sempre voltada por bem.

 

– É ensinar ao que erra,

E, entre os atrasos da Terra,

Não fazer mal a ninguém;

 

– É sempre ter por divisa.

Tudo que é nobre e suaviza.

O pranto, a dor, a aflição;

E, fazendo a Caridade,

 

Evitar a orfandade

O abismo da perdição.

Em Deus é ter sempre crença

Profunda, sincera, imensa,

Consubstanciada na Fé.

 

É guardar bem na memória.

Os bons conselhos e a glória

De Jesus de Nazaré.

É perdoar a injúria

É suavizar a penúria

De quem já não tem um pão,

 

E se tornar complacente.

Para o inimigo insolente,

Tendo por lema – o perdão.

 

Ser espírita – é ser clemente,

É ter a alma de crente

Sempre voltada pro bem.

 

– É ensinar ao que erra,

E, entre os atrasos da terra,

Não falar mal de ninguém.

 

Euripedes Barsanulfo.

Poesia enviada pelo meu amigo Rodrigo Ornelas

Anúncios