Quando nascem os nossos filhos,   criamos a ilusão que estaremos sempre ao seu lado, que não o deixaremos errar que estaremos sempre por perto protegendo,  que só caminharão por lugares tranqüilos, que sempre ouvirão os nossos conselhos.  E que jamais  permitiremos que sofram.

 Temos  a ilusão que poderemos  decidir os seus caminhos, que  isso será nossa  responsabilidade.  E durante algum tempo assim acontece.  Ficamos  muito perto cuidando,  orientando, protegendo, garantindo   que possam ser  felizes. De repente percebemos que essa tarefa, já  não nos pertence.

 Cresceram! Somos obrigados a vê-los trilhando caminhos, que jamais permitiríamos. E que agora  em  raríssimas ocasiões atendem aos nossos conselhos. Percebemos que caminharam rápido e não conseguimos acompanhá-los. Agora nos resta assistí-los a trilhar seus caminhos.

Quem sabe ajudá-los a levantar quando permitirem? 

Sentimos saudades do tempo que a qualquer dificuldade gritavam  Pai!!!  Mãe!!!! E nós correndo íamos acudí-los e muitas vezes enxugar  suas lágrimas. Esquecemos que nossos pais também passaram por estes momentos. E eles com certeza também viverão essa experiência.

 Nossos pais superaram essa mudança e nós conseguiremos também. Claro que é dificil. Mas o importante é estar ao lado do filho sempre que ele necessite. O Espiritismo nos ensina, que os  filhos não são nossos.  São espíritos que Deus nos entregou para que juntos possamos  resgatar os nossos  débitos, e aprender a amar. Eles  são um empréstimo de Deus.

 Com eles aprendemos a amar incondicionalmente. Se hoje já não estiverem  ao nosso lado, significa que a nossa tarefa de educar chegou ao fim.  Passamos para eles o que pudemos,  amor,  ensino, proteção,  exatamente na medida em  que tínhamos condições.

Preparamos o caminho dos nossos filhos, para passarem por este mundo de provas e expiações. Ficaremos felizes se  eles tiverem   a certeza de que mesmo  não estando juntos, nossos corações estarão sempre ligados.

 Muita Paz

 

Advertisements