Alzheimer acima de tudo é uma moléstia que reflete o isolamento do espírito.  E como toda doença faz parte da nossa programação. Pesquisas indicam que estão aparecendo precocemente.  Se tudo está mais precoce, o que impede de doenças com possibilidade de surgirem lá pelos 65 anos de idade apareçam lá pela casa dos 50 ou até menos? Afirmam os especialistas,  que os motivos são o estilo de vida atual, estresse crônico, distúrbios do sono, medicamentos, estimulantes como a cafeína e outros etc.  Pesquisas também indicam  alguns traços de personalidade das pessoas portadoras de Alzheimer.

 a) Costumam ser muito focadas em si mesmas. b) Vivem em função das suas necessidades e das pessoas com as quais criam um processo de co- dependência e até de simbiose. c) Seus objetivos de vida são limitados (em se tratando de evolução). d) São de poucos amigos. e) Gostam de viver isoladas. f) Não ousam mudar. g) Conservadoras até o limite. h) Sua dieta é sempre a mesma. i) Criam para si uma rotina de ‘ratinho de laboratório’. j) São muito metódicas. k) Costumam apresentar pensamentos circulares e idéias repetitivas bem antes da doença se caracterizar.

 l) Cultivam manias e desenvolvem TOC (transtorno obsessivo compulsivo) com freqüência. m) Teimosas, desconfiadas, não gostam de pensar. n) Leitura os enfastia. o) Não são chegadas em ajudar o próximo. p) Avessas á prática de atividades físicas. q) Facilmente entram em depressão. r) Agressivas contidas. s) Lidam mal com as frustrações que sempre tentam camuflar. t) Não se engajam. u) Apresentam distúrbios da sexualidade como impotência precoce e frigidez. v) Bloqueadas na afetividade e na sexualidade.

 Algumas têm dificuldades em manifestar carinho, para elas um abraço, um beijo, um afago requer um esforço sobre-humano. Gatilhos que costumam desencadear o processo: – Na atualidade a parcela da população que corre mais risco, são os que se aposentam – especialmente os que se aposentam cedo e não criam objetivos de vida de troca interativa em seqüência. Isolam-se.

 Adoram TV porque não os obriga a raciocinar, pois não gostam de pensar para não precisar fazer escolhas ou mudanças. Avarentos de afeto e carentes de trocas afetivas quando não podem vampirizar os parentes, deprimem-se escancarando as portas para a degeneração fisiológica e principalmente para os processos obsessivos. Nessa situação degeneram com incrível rapidez, de uma hora para outra.

 Alzheimer e mediunidade – No decorrer do processo os laços fluídicos ficam tão flexíveis que eles falam com pessoas que não enxergamos nem sentimos. Chegam a transmitirem o que dizem os desencarnados ou são usados de forma direta para comunicações

Obsessão – É bem comum que a doença insidiosamente se instale através de um processo arquitetado por obsessores, pois os que costumam apresentar essa doença não são muito adeptos da ajuda ao próximo e do amor incondicional; daí ficam vulneráveis às vinganças e retaliações.

Evidente que conhecemos pessoas que con tradizem estas pesquisas apresentando ou nao essa doença. É raro que bons tarefeiros a serviço do Cristo transformem-se em Alzheimer. Mas, quem é ou quais são os alvos do processo obsessivo?  O  Alzheimer pode chegar para o  rico ou pobre, intelectual ou ignorante, qualquer um de nós podemos ser vítima dessa doença. Mas esse é resgate é somente para o doente? E a família também  não estará passando  por esse processo. Vale a pena abdicar de uma tarefa de vida para cuidar de uma pessoa que tudo fez para ficar nessa condição de necessitado?   Na dúvida chame Jesus, Ele explica tudo muito bem… O problema da obsessão – Quem obsidia quem?

 Cuidador e doente são antigos adversários?- A doença de Alzheimer acima de tudo é uma moléstia que reflete o isolamento do espírito que se torna solitário por opção? A melhor e mais eficiente delas é o estudo, o desenvolvimento da inteligência, da criatividade e a prática da caridade. Seguir ao pé da letra o recado que nos deixou o Espírito da Verdade: ‘Amai-vos e instruí-vos’.  Torne sua vida produtiva, pratique sem cessar o perdão e a caridade com muito esforço e inteligência. 

Esse artigo me foi enviado pelo irmão Rodrigo Ornela.

Muita Paz