Ora, havia um homem entre os fariseus, chamado Nicodemos, senador dos judeus, – que foi à noite encontrar Jesus e lhe disse: Mestre, sabemos que viestes da parte de Deus para nos instruir como um doutor, porque ninguém poderia fazer os milagres que fazeis se Deus não estivesse com ele.

Jesus lhe respondeu : Em verdade, em verdade vos digo: Ninguém pode ver o reino de Deus  se não nascer de novo. Nicodemos lhe disse: Como pode nascer um homem que já está velho? Pode ele reentrar no ventre de sua mãe, para nascer uma segunda vez?

Jesus lhe respondeu: Em verdade, em verdade vos digo;  Se um homem não renascer  da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. – O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é Espírito. – Não vos espanteis do que eu vos disse, que é preciso que nasçais de novo. –  O Espírito sopra onde quer, e ouvis sua voz, mas não sabeis de onde ele vem, nem onde ele vai, ocorre o mesmo com todo homem que é nascido  do Espírito.

Nicodemos  lhe respondeu: Como isso pode se dar ? – Jesus lhe  disse: Que! sois em Israel , e ignoras essas coisas?  Em verdade, vos digo que não dizemos senão o que sabemos, e que não testemunhamos senão o que vimos, e entretanto vós não recebeis nosso testemunho . – Mas se não me credes  quando vos falo das coisas da Terra, como me crereis quando vos falar das coisas do céu? ( São João, 3; 1- 12)

O pensamento de que João Batista era Elias e que os profetas poderiam reviver sobre a terra, encontra-se em muitas passagens dos Evangelhos, notadamente  nas relatadas acima ( nº 1,2 e 3 ). Se essa crença tivesse sido um erro, Jesus não teria deixado de a combater, como combateu tantas outras, longe disso, ele a sancionou com toda sua autoridade, e a colocou como principio e como uma condição necessária quando disse:

Ninguém pode ver o reino dos céus se não nascer de novo, e insiste, ajuntando; Não vos espanteis do que eu vos disse, que é PRECISO que nasçais de novo. Estas palavras  ¨Se um homem não renasce da água e do Espírito¨,  foram interpretadas no sentido da regeneração pela água do batismo, mas o texto primitivo  trazia simplesmente: Não renasce da água e do Espírito, ao passo que, em certas traduções, a do Espírito se substituiu : do Santo Espírito , o que não responde mais ao mesmo pensamento.

Esse ponto capital ressalta dos primeiros comentários  feitos  sobre o Evangelho , assim como será    um dia constatado  sem equivoco possível.

Muita Paz

ESE – Boa Nova Editora