You are currently browsing the monthly archive for Janeiro 2012.

Quando nascem os nossos filhos,   criamos a ilusão que estaremos sempre ao seu lado, que não o deixaremos errar que estaremos sempre por perto protegendo,  que só caminharão por lugares tranqüilos, que sempre ouvirão os nossos conselhos.  E que jamais  permitiremos que sofram.

 Temos  a ilusão que poderemos  decidir os seus caminhos, que  isso será nossa  responsabilidade.  E durante algum tempo assim acontece.  Ficamos  muito perto cuidando,  orientando, protegendo, garantindo   que possam ser  felizes. De repente percebemos que essa tarefa, já  não nos pertence.

 Cresceram! Somos obrigados a vê-los trilhando caminhos, que jamais permitiríamos. E que agora  em  raríssimas ocasiões atendem aos nossos conselhos. Percebemos que caminharam rápido e não conseguimos acompanhá-los. Agora nos resta assistí-los a trilhar seus caminhos.

Quem sabe ajudá-los a levantar quando permitirem? 

Sentimos saudades do tempo que a qualquer dificuldade gritavam  Pai!!!  Mãe!!!! E nós correndo íamos acudí-los e muitas vezes enxugar  suas lágrimas. Esquecemos que nossos pais também passaram por estes momentos. E eles com certeza também viverão essa experiência.

 Nossos pais superaram essa mudança e nós conseguiremos também. Claro que é dificil. Mas o importante é estar ao lado do filho sempre que ele necessite. O Espiritismo nos ensina, que os  filhos não são nossos.  São espíritos que Deus nos entregou para que juntos possamos  resgatar os nossos  débitos, e aprender a amar. Eles  são um empréstimo de Deus.

 Com eles aprendemos a amar incondicionalmente. Se hoje já não estiverem  ao nosso lado, significa que a nossa tarefa de educar chegou ao fim.  Passamos para eles o que pudemos,  amor,  ensino, proteção,  exatamente na medida em  que tínhamos condições.

Preparamos o caminho dos nossos filhos, para passarem por este mundo de provas e expiações. Ficaremos felizes se  eles tiverem   a certeza de que mesmo  não estando juntos, nossos corações estarão sempre ligados.

 Muita Paz

 

 

Quando a doença ataca o nosso corpo, não podemos cuidar apenas dos sintomas,   precisamos descobrir  a causa interior.Pois a doença começa a se manifestar no interior para depois manifestar-se no exterior.

A angustia, a dor, a tristeza, a raiva,a inveja etc.. podem  causar doenças no  nosso organismo. O médico vai descobrir no nosso corpo a causa dos sintomas. Desaparece os sintomas mas se a tristeza, a angustia continuar no nosso interior os sintomas voltarão algum tempo depois.

Doenças como azia, diabetes, enxaqueca, depressão, ou outras doenças graves, normalmente são resultado das doenças da alma. Que são chamadas de doenças psicossomáticas. Quantas doenças acumulamos dentro de nós, apenas por não conseguirmos perdoar alguém que nos fez sofrer.

Ter uma saúde é necessário mudar de vida:  Perdoar, praticar a caridade, amar o nosso próximo assim como Jesus nos ama. Certa ocasião um homem idoso que estava doente e com muitas  dores no seu corpo, foi aconselhado por alguns amigos a procurar o Mestre Jesus.

Disseram-lhe que ele a todos curava. Ele era uma pessoas muita irritada, não tinha paciência com ninguém. O homem foi. Falou a Jesus de suas doenças e Pediu para ser curado. Jesus na sua infinita bondade o curou, porém lhe disse vá e não peques mais.

O homem aliviado e agradecido saiu de perto do Mestre, e em seguida tropeçou em um pedinte que estava no chão. Imediatamente ele perdeu a paciência e  bateu no homem com sua bengala. Em seguida começou a sentir as dores no seu corpo.

Sem entender voltou até o Mestre e perguntou: Acabaste de curar-me e as dores voltaram. Por que? Jesus lhe respondeu: É o ódio voltando ao teu coração. Queremos a cura o milagre, mas não queremos mudar a nossa maneira de viver.

Deus muitas vezes nos fala através da  enfermidade, é um  recado que  chega até nós através da divindade. A mensagem é: está faltando mais amor e harmonia em sua vida.

A cura do  nosso corpo deve ser feita através da medicina.  Mas são nos ensinamentos de Jesus que encontraremos os remédios para a cura da nossa alama. 

Muita Paz

 Os anjos da  guarda são mensageiros de Deus, enviados para nos proteger e orientar, sua missão é manter  a fé nos nossos  corações, para que possamos  vencer a nossa luta  terrestre. Eles  estão sempre perto de nós, nos intuindo no caminho do bem e do amor.

 Perseveram sempre para que aceitemos suas inspirações,  jamais se impacientando com a nossa ignorância ou as nossas fraquesas, jamais nos  abandona.  Mesmo quando estamos  em desequilíbrio, estão por perto esperando que possamos  levar o pensamento até eles para que possamos ser socorridos.

 Sempre vigilantes, utilizam-se de cada acontecimento  para instruir e educar.  Envolvem-nos  em ternura incomum, mas nos permite usar o nosso livre arbítrio, pois sabem que através das nossas iniciativas, aprenderemos sempre. São sábios e evoluídos, tentam transmitir o que precisamos para nossa evolução.  Trabalham infatigavelmente pelo nosso bem, infundindo coragem àqueles que procuram a sua proteção, sempre estão por perto, nos amparando em  qualquer situação, mesmo quando estamos certos ou errados. 

 Nunca censuram, preservando sempre  o livre-arbítrio de cada um de nós, quando caimos ele lamenta,  quando levantamos está ao nosso lado. Os anjos guardiães  nunca se cansam, porque aceitaram estar junto de nós, educam mais respeitam a nossa liberdade de escolha.  São Espíritos superiores que cooperam para o progresso da humanidade.  Cada um de nos estamos vinculados a  um anjo guardião. Aproveitemos essa oportunidade e busquemos ajuda, peçamos sua proteção antes de errarmos, ele nos orientará, através dos nossos bons pensamentos. 

  Na enfermidade do corpo ou da alma, procuremos ouvi-lo interiormente buscando a serenidade. Na saúde procuremos ouvir suas inspirações que são sempre voltados para o amor.  O nosso  anjo guardião não poderá impedir que os Espíritos perturbadores se acerquem de nós, pois somos nós que os atraimos, com as nossas fraquezas, inveja, ciúme, ódio etc.. 

Porém quando oramos e pedimos sua proteção, melhorando os nossos pensamentos  ele nos ajuda. O nosso anjo da guarda é o nosso amigo mais próximo.   Entre ele e Deus nosso Pai, temos nosso irmão Maior  Jesus Cristo o governador do nosso Planeta. Que nos deixou seus ensinamentos e os nossos anjos da guarda para nos ajudar.

Muita Paz 

 

Médium: Sr. Leymarie)

 

Sabeis, amigos, de que lugar é datada minha comunicação? De uma garganta perdida, onde as casas disputaram suas fiadas às dificuldades acumuladas pela criação. Sobre o declive de colinas quase a pique, serpenteiam ruas trepadas, ou antes penduradas nos flancos dos rochedos. Pobres moradas que abrigaram muitas gerações; em cima dos telhados se acham os jardins, onde os pássaros cantam a sua prece. Quando as primeiras flores anunciam os belos dias cheios de ar e de sol, essa música parece sair das camadas aéreas, e o habitante que dobra e trabalha o ferro, a usina e seu ruído dissonante casam seu ritmo áspero e barulhento à harmonia dos pequenos artistas do bom Deus.

Mas acima dessas casas deterioradas, acavaladas, originais, deslocadas, existem altas montanhas com uma verdura sem par; a cada passo, o passante vê alargar-se o horizonte; as aldeias, as igrejas parecem sair do abismo, e esse panorama estranho, selvagem, mutável, se perde ao longe, dominado por montanhas de cabeças embranquecidas pelas neves.

Mas eu esquecia: sem dúvida deveis perceber uma fita prateada, clara, caprichosa, transparente como um espelho: é a Corrèze. Ora encaixada entre rochedos, é silenciosa e grave; ora se escapa alegre, risonha, através dos prados, dos salgueiros e dos olmeiros, oferecendo sua taça aos lábios de numerosos rebanhos, e sua transparência benfazeja às brincadeiras dos banhistas; ela purifica a cidade, que divide graciosamente.

Eu amo este rincão com suas velhas moradas, seu gigantesco campanário, sua ribeira, seu ruído, sua coroa de castanheiros; eu o amo porque ali nasci, porque tudo o que narro ao vosso espírito benevolente faz parte das lembranças de minha última encarnação. Parentes amados, amigos sinceros sempre me cercaram de ternos cuidados; ajudaram no meu adiantamento espiritual. Chegado às grandezas, eu lhes devia meus sentimentos fraternos; meus trabalhos os honravam, e quando venho como Espírito visitar a cidade de minha infância, não me posso impedir de subir ao Puy-Saint-Clair, a última morada dos cidadãos de Tulle, saudar os restos terrenos dos Espíritos amados.

Estranha fantasia! O cemitério está a quinhentos pés acima da cidade; em volta, o horizonte infinito. A gente está só entre a Natureza, seus prestígios e Deus, o rei de todas as grandezas, de todas as esperanças. Nossos avós tinham querido aproximar os mortos amados de sua verdadeira morada, para lhes dizer: Espíritos, desprendei-vos! O ar ambiente vos chama. Saí resplendentes de vossa prisão, a fim de que o espetáculo encantador deste horizonte imenso vos prepare para as maravilhas que fostes chamados a contemplar. Se tiveram tal pensamento, eu o aprovo, porque a morte não é tão lúgubre quanto querem pintá-la. Ela não é, para os espíritas, a verdadeira vida, a separação desejada, a bem-vinda do exilado nos grupos da erraticidade, onde ele vem estudar, aprender e preparar-se para novas provas?

Em alguns anos, em vez de gemer, de cobrir-se de luto, será uma festa para os Espíritos encarnados essa separação, quando o morto tiver cumprido os seus deveres espíritas em toda a acepção da palavra; mas chorarão, gemerão pelo terrícola egoísta que jamais praticou a caridade, a fraternidade, todas as virtudes, todos os deveres tão bem definidos no Livro dos Espíritos.

Depois de ter falado dos mortos, me permitis falar dos vivos? Eu me ligo muito a todas as esperanças, e meu país, onde há tanto a fazer, bem merece votos sinceros.

O progresso, esse nivelador inflexível, é lento, é verdade, para implantar-se nas regiões montanhosas, mas ele sabe impregnar-se tempestivamente nos hábitos, nos costumes; ele afasta uma a uma as oposições, para deixar entrever, enfim, clarões novos para esses párias do trabalho, cujo corpo, sempre vergado sobre uma terra ingrata, é tão rude quanto o traçado dos sulcos.

A natureza vigorosa desses bravos habitantes espera a redenção espiritual. Eles não sabem o que é pensar, julgar corretamente e utilizar todos os recursos do espírito; só o interesse os domina em toda a sua rudeza e o alimento pesado e comum se presta a essa esterilidade do espírito. Vivendo afastados do ruído da política, das descobertas científicas, eles são como bois, ignorantes de sua força, prontos a aceitar o jugo, e tangidos pelo aguilhão, vão à missa, ao cabaré, à aldeia, não por interesse mas por hábito, dormindo durante as prédicas, saltando aos sons dissonantes de uma gaita, soltando gritos insensatos e obedecendo brutalmente aos movimentos da carne.

O padre se abstém judiciosamente de mudar esses velhos usos e costumes; ele fala da fé, dos mistérios, da paixão, do diabo sempre, e essa mistura incoerente acha um eco sem harmonia nas cabeças dessa brava gente que faz votos, peregrinações com os pés descalços e se entrega aos mais estranhos costumes supersticiosos.

Assim, quando uma criança é doentia, pouco aberta, sem inteligência, logo a levam a uma aldeia chamada São Pao (dizei São Paulo); para começar, ela é mergulhada numa água privilegiada, mas pela qual se paga; depois fazem-na sentar-se numa bigorna benta, e um ferreiro, munido de um pesado martelo, bate vigorosamente na bigorna; dizem que a comoção experimentada pelos golpes repetidos cura infalivelmente o paciente. Chamam a isso: fazer São Pao forjar. As mulheres que sofrem do baço também vão banhar-se na água milagrosa e se fazer forjar. Julgai por este exemplo em cem o que é o ensino dos vigários dessa região.

Entretanto, tomai esse bruto e falai de interesse; logo o camponês astucioso, prudente como um selvagem, se defende com aprumo e vence os mais astutos juízes. Fazei um pouco de luz em seu cérebro, ensinai-lhe os primeiros elementos das ciências, e tereis homens verdadeiros, fortes de saúde, espíritos viris e cheios de boa vontade. Que as estradas de ferro cruzem a região e logo tereis um solo copioso com vinho, frutos deliciosos, grão escolhido, trufa perfumada, castanhas selecionadas, a vide ou o cogumelo sem igual, bosques magníficos, minas de carvão inesgotáveis, ferro, cobre, gado de primeira classe, ar, verdura, paisagens esplêndidas.

E quando tantas esperanças apenas se querem espalhar, quando tantas outras regiões estão, como esta, numa prostração mortal, queiramos que, em todos os corações, em todos os recantos perdidos deste mundo, penetre O Livro dos Espíritos. A doutrina que ele encerra é a única que pode mudar o espírito das populações, arrancando-as à pressão absurda dos que ignoram as grandes leis da erraticidade, e que querem imobilizar a crença humana num dédalo onde eles próprios têm tanto trabalho em se reconhecer. Trabalhemos, pois, todos com ardor nesta renovação desejada que deve derrubar todas as barreiras e criar o fim prometido à geração que em breve virá.

IPEAK

 Alzheimer acima de tudo é uma moléstia que reflete o isolamento do espírito.  E como toda doença faz parte da nossa programação. Pesquisas indicam que estão aparecendo precocemente.  Se tudo está mais precoce, o que impede de doenças com possibilidade de surgirem lá pelos 65 anos de idade apareçam lá pela casa dos 50 ou até menos? Afirmam os especialistas,  que os motivos são o estilo de vida atual, estresse crônico, distúrbios do sono, medicamentos, estimulantes como a cafeína e outros etc.  Pesquisas também indicam  alguns traços de personalidade das pessoas portadoras de Alzheimer.

 a) Costumam ser muito focadas em si mesmas. b) Vivem em função das suas necessidades e das pessoas com as quais criam um processo de co- dependência e até de simbiose. c) Seus objetivos de vida são limitados (em se tratando de evolução). d) São de poucos amigos. e) Gostam de viver isoladas. f) Não ousam mudar. g) Conservadoras até o limite. h) Sua dieta é sempre a mesma. i) Criam para si uma rotina de ‘ratinho de laboratório’. j) São muito metódicas. k) Costumam apresentar pensamentos circulares e idéias repetitivas bem antes da doença se caracterizar.

 l) Cultivam manias e desenvolvem TOC (transtorno obsessivo compulsivo) com freqüência. m) Teimosas, desconfiadas, não gostam de pensar. n) Leitura os enfastia. o) Não são chegadas em ajudar o próximo. p) Avessas á prática de atividades físicas. q) Facilmente entram em depressão. r) Agressivas contidas. s) Lidam mal com as frustrações que sempre tentam camuflar. t) Não se engajam. u) Apresentam distúrbios da sexualidade como impotência precoce e frigidez. v) Bloqueadas na afetividade e na sexualidade.

 Algumas têm dificuldades em manifestar carinho, para elas um abraço, um beijo, um afago requer um esforço sobre-humano. Gatilhos que costumam desencadear o processo: – Na atualidade a parcela da população que corre mais risco, são os que se aposentam – especialmente os que se aposentam cedo e não criam objetivos de vida de troca interativa em seqüência. Isolam-se.

 Adoram TV porque não os obriga a raciocinar, pois não gostam de pensar para não precisar fazer escolhas ou mudanças. Avarentos de afeto e carentes de trocas afetivas quando não podem vampirizar os parentes, deprimem-se escancarando as portas para a degeneração fisiológica e principalmente para os processos obsessivos. Nessa situação degeneram com incrível rapidez, de uma hora para outra.

 Alzheimer e mediunidade – No decorrer do processo os laços fluídicos ficam tão flexíveis que eles falam com pessoas que não enxergamos nem sentimos. Chegam a transmitirem o que dizem os desencarnados ou são usados de forma direta para comunicações

Obsessão – É bem comum que a doença insidiosamente se instale através de um processo arquitetado por obsessores, pois os que costumam apresentar essa doença não são muito adeptos da ajuda ao próximo e do amor incondicional; daí ficam vulneráveis às vinganças e retaliações.

Evidente que conhecemos pessoas que con tradizem estas pesquisas apresentando ou nao essa doença. É raro que bons tarefeiros a serviço do Cristo transformem-se em Alzheimer. Mas, quem é ou quais são os alvos do processo obsessivo?  O  Alzheimer pode chegar para o  rico ou pobre, intelectual ou ignorante, qualquer um de nós podemos ser vítima dessa doença. Mas esse é resgate é somente para o doente? E a família também  não estará passando  por esse processo. Vale a pena abdicar de uma tarefa de vida para cuidar de uma pessoa que tudo fez para ficar nessa condição de necessitado?   Na dúvida chame Jesus, Ele explica tudo muito bem… O problema da obsessão – Quem obsidia quem?

 Cuidador e doente são antigos adversários?- A doença de Alzheimer acima de tudo é uma moléstia que reflete o isolamento do espírito que se torna solitário por opção? A melhor e mais eficiente delas é o estudo, o desenvolvimento da inteligência, da criatividade e a prática da caridade. Seguir ao pé da letra o recado que nos deixou o Espírito da Verdade: ‘Amai-vos e instruí-vos’.  Torne sua vida produtiva, pratique sem cessar o perdão e a caridade com muito esforço e inteligência. 

Esse artigo me foi enviado pelo irmão Rodrigo Ornela.

Muita Paz

Também a vós que vos chamais materialistas, porque só quereis conhecer a matéria, eu seria tentado a vos mandar os meus augúrios de felicidade, mas temeria que considerásseis isto como uma ousadia de um estranho que não tem o direito de se contar entre vós. É diferente com os espiritualistas, que estão no mesmo terreno que os espíritas, no tocante à convicção na imortalidade da alma, em sua individualidade e em seu estado feliz ou infeliz depois da morte. Os espiritualistas e os espíritas reconhecem em cada homem uma alma irmã da sua, e por isto me dão o direito de lhes enviar meus augúrios.

 Uns e outros agradecem ao Senhor pelo ano que acaba de se escoar e esperam que, sustentados por sua graça, terão coragem para suportar as provações dos dias infelizes, e a força de trabalhar em seu aperfeiçoamento, dominando suas paixões. A vós, caros espíritas, irmãos e irmãs conhecidos e desconhecidos, eu vos desejo particularmente um ano feliz, porque recebestes de Deus, para a vossa peregrinação terrena, um grande apoio no Espiritismo. A religião a todos veio trazer a fé, e bem-aventurados os que a conservaram. Infelizmente ela está extinta num grande número; eis por que Deus envia uma nova arma para combater a incredulidade, o orgulho e o egoísmo, que tomam proporções cada vez maiores. Essa arma nova é a comunicação com os Espíritos; por ela temos a fé, porque ela nos dá a certeza da vida da alma, e nos permite lançar um olhar na outra vida; assim reconhecemos a fragilidade da felicidade terrena, e temos a solução das dificuldades que nos faziam duvidar de tudo, mesmo da existência de Deus. Disse Jesus aos seus discípulos: “Eu teria ainda muitas coisas a vos dizer, mas não poderíeis, ainda, suportá-las.” Hoje, tendo a Humanidade progredido, pode compreendê-las.

 Eis por que Deus nos deu a ciência do Espiritismo, e a prova que a Humanidade está madura para esta ciência é que ela existe. É inútil negar e troçar, como outrora era inútil negar e fazer troça dos fatos sustentados por Copérnico e Galileu. Então esses fatos eram tão pouco conhecidos quanto o são agora os do mundo dos Espíritos. Como outrora, os primeiros opositores são os sábios, até o dia em que, vendo-se isolados, reconhecerão humildemente que as novas descobertas, como o vapor, a eletricidade e o magnetismo, que outrora eram desconhecidos, não são a última palavra das leis da Natureza. Eles serão responsáveis perante as gerações futuras por não terem acolhido a ciência nova como irmã das outras, e por terem-na repelido como uma loucura. É verdade que ela não ensina nada de novo proclamando a vida da alma, pois o Cristo dela falou, mas o Espiritismo derruba todas as dúvidas e lança uma nova luz sobre essa questão. Entretanto, guardemo-nos de considerar como inúteis os ensinamentos do Cristianismo, e de acreditar que eles foram substituídos pelo Espiritismo; ao contrário, fortifiquemo-nos na fonte das verdades cristãs, para as quais o Espiritismo não é senão um novo facho, a fim de que nossa inteligência e nosso orgulho não nos desgarrem.

 O Espiritismo nos ensina, antes de tudo, que “sem o amor e a caridade não há felicidade”, isto é, que é preciso amar o próximo como a nós mesmos. Apoiando-se nesta verdade cristã, ele abre o caminho para a realização desta sentença do Cristo: “Um só rebanho e um só pastor.” Assim, pois, caros irmãos e irmãs espíritas, permiti que aos meus votos pelo ano novo eu junte ainda esta prece: Que jamais useis mal o poder de comunicação com o mundo espiritual. Não esqueçamos que, conforme a lei sobre a qual repousam nossas relações com os Espíritos, os maus não estão excluídos das comunicações. Se é difícil constatar a identidade de um Espírito que não conhecemos, é fácil distinguir os bons dos maus. Estes podem ocultar-se sob a máscara da hipocrisia, mas um bom espírita os reconhece sempre; eis por que não nos devemos ocupar dessas coisas levianamente, porquanto podemos ser joguete de Espíritos maus, embora inteligentes, como por vezes são encontrados no mundo dos encarnados. Se compararmos nossas co­municações com as que são obtidas nas reuniões dos espíritas fervorosos e sinceros, logo saberemos reconhecer se estamos no bom caminho. Os Espíritos elevados se fazem reconhecer por sua linguagem, que é a mesma por toda parte, sempre de acordo com o Evangelho e a razão humana.

 O meio de se preservar dos maus Espíritos é, para começar, fazer uma prece sincera a Deus; depois, jamais empregar o Espiritismo para coisas materiais. Os maus Espíritos estão sempre prontos a satisfazer todos os pedidos, e se por vezes eles dizem coisas justas, o mais das vezes enganam com intenção ou por ignorância, porque os Espíritos inferiores não sabem mais do que sabiam durante sua existência terrestre. Os bons Espíritos, ao contrário, nos ajudam em nossos esforços para nos melhorarmos e nos dão a conhecer a vida espiritual, a fim de que possamos assimilá-la à nossa. É este o objetivo para onde devem tender todos os espíritas sinceros. Adolf, conde de PONINSKI. Leipzig, 1º de janeiro de 1868

Os santos foram seres humanos católicos que foram canonizados. Por isso existe uma grande quantidade  de santos  europeus. Pessoas que pertenciam a outras religiões e que muito fizeram pela humanidade e fizeram grandes sacrifícios não são canonizadas.

¨Santo Agostinho ¨

Acreditamos que essas pessoas que foram consideradas santas foram Espíritos elevados, mas são julgadas pelos homens católicos, normalmente precisam ser pessoas católicas, preferencialmente padres ou freiras. E que tenha realizado um milagre. Se  alguém orou  e alcançou  uma cura , aconteceu o milagre, a partir de mais alguns milagres,   começa a busca pela sua canonização.

No Espiritismo não há santos, porém há espíritos superiores que ajudam a realizar curas, isto é,  quando há o merecimento do ser independente da sua crença. Deus Pai justo e amoroso, não promove nenhum espírito à santidade. A evolução de todos os Espíritos depende de cada um.  Pois ama a todos sem distinção.  Deus faz nascer o sol para o justo e o injusto.

O Espiritismo nos faz conhecer a verdade sem fanatismos, através da fé raciocinada, que nos liberta. Valorosos irmãos considerados santos pelos nossos irmãos católicos, nos trazem mensagens importantes assim como os que pertenceram a outras religiões.

Muita Paz

Apesar da grande quantidade de casas Espíritas no Brasil. O Espiritismo não representa uma das religiões preferidas pelos brasileiros. A quantidade de pessoas que frequentam os centros Espíritas e aceitam  os princípios da Doutrina é grande. Mas na hora de declarar sua religião declaram participar de outra.

Ser Espírita é para pessoas que ¨acordaram ¨que encontraram respostas para suas aflições, pessoas que possuem a fé raciocinada e que estão dispostas a trabalhar pela sua reforma intima. Que entendem que a responsabilidade dos nossos sofrimentos são nossas e que o remédio é a fé, a disciplina e a caridade.

O verdadeiro Espírita não esconde a sua religião, mas aceita e respeita  todas  as  outras crenças com amor.  Emmanuel nos diz que ¨Sem noção de responsabilidade, sem a pratica do bem e sem esforço  em nosso próprio burilamento moral, é impraticável  se dizer Espírita.¨

Ser espírita não é frequentar um centro e afirmar, eu sou Espírita! É  muito mais. É  ter a consciência  sabemos muito pouco,  e que precisamos estudar muito mais, por que ainda desconhecemos  muitas coisas , porém o Consolador Prometido nos está mostrando dia a dia as verdades que ajudarão a nossa transformação.

Muita Paz 

 

 

 

“Não penseis que vim para revogar a lei e os profetas; não vim revogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo: passará o Céu e a Terra, mas de modo nenhum passará da lei um só i ou um til sem que tudo se cumpra”.
(Mateus, V-17-18.)

A prece de Cáritas é divina, sua denominação e sua origem têm sido estudadas e pesquisadas; mas se perguntarem à maioria dos religiosos como ela surgiu, e a denominação de Cáritas, poucas pessoas arriscam dar um parecer. “Chamo-me Caridade, sou o caminho principal que conduz a Deus; segui-me eu sou a meta a que vós todos deveis visar”.O que se apregoa nos meios religiosos e principalmente no movimento espírita é que Cáritas é um espírito que se comunicava através das faculdades de uma das grandes médiuns de seu tempo, Mme. W. Krell, num círculo espírita de Bordeux, na França de Allan Kardec. Isto só não basta; como também não gosto que abreviem o nome das pessoas, é de bom alvitre que a conhecemos por seu nome completo. Quando se fala em Mme. Krell logo vem a pergunta: o que significa a letra W é aí surge uma nova pesquisa. Se muitas criaturas, estudiosos, desconhecem a origem deste nome; imaginem quem foi Cáritas quando esteve encarnada neste mundo de provas e expiações. Eu, na minha simplicidade, através de meus parcos conhecimentos consegui chegar até a época do Imperador Diocleciano, e chegar até a figura de Irene que foi martirizada em Roma no ano de 305 quando das perseguições do Imperador acima epigrafado. Canonizada por sua religião, a posteriori veio a ser conhecida como Santa Irene, ela foi convertida ao Cristianismo e tinha duas irmãs. Citado Imperador determinou perseguição aos cristãos, ela foi acusada de possuir “livros proibidos” e foi condenada a fogueira e suas irmãs foram degoladas à sua frente. Que crueldade meu Deus! Vale ressaltar que existem mais de uma santa Irene, e as informações podem até ser confusa, no Evangelho Segundo Espiritismo e na Revista espírita existem várias mensagens de Cáritas editada por Allan Kardec. Essas mensagens são belas, estimulam a fraternidade, a solidariedade e a caridade. A prece foi psicografada pela Madame W. Kreel, na véspera de um Natal de dezembro de 1873, portanto há mais de cem anos. A Madame Krell, esquecida no presente pode ser considerada um dos maiores médiuns psicográficos da história do Espiritismo. A perfeição extraordinária de mensagens psicografadas dos maiores nomes da poesia francesa não poderia jamais colocar o nome da médium em cheque.

Cito Lamartine, André Crênier, SAINT_BEUVEE e Alfred de Musset, a grande médium recebeu do poeta americano Edgard Allan Poe, excelentes páginas poética, como o nosso Francisco de Paula Cândido Xavier, de saudosa memória, recebeu de poetas brasileiros e portugueses e estão expostas na sua primeira obra psicografada; Parnaso de Além Túmulo. Na prosa Madame Kreel recebia constantes comunicações do Espírito de (da) Verdade, Dumas, Lacordaire, Lamennais, Pascal, do famoso grego Ésopo, Fénelon e outros. No livro “Rayonnementes de la Vie Spirituelle”, cuja publicação ocorreu em maio de 1875, em Bordeaux (França). Ressalte-se que madame Kreel psicografava em transe. A suave Cáritas, e as mulheres em geral, vir até vós, minha mais bela toilette fluídica. Chego a vós, minhas irmãs, meus irmãos, carregada de felicidade espiritual que cai sobre vós como um orvalho”. O ácido da psicografia, da lavra de Lamartine, André Chénier, Alfred de Musset, Edgard Allan Poe, Saint-Beuve. “Como servir a religião espiritual” e “A esmola espiritual”, são também mensagens da madame Kreel, há muitas maneiras de fazer a caridade que tantos de vós confundem com esmolas. Não obstante, há grande diferença entre elas.

A esmola, meus amigos, algumas vezes é útil, porque alivia os pobres. Mas é quase sempre humilhante tanto para quem dá, quanto para quem a recebe. A caridade, pelo contrário, liga o benfeitor e o beneficiário e, além disso, se disfarça de tantas maneiras! A caridade pode ser praticada mesmo entre colegas e amigos, sendo indulgentes uns para com os outros, perdoando-se mutuamente suas fraquezas, cuidando de não ferir o amor–próprio de ninguém.

Muita Paz

Portal dos Espíritos

Em Lucas Capítulo 12 v 15, está escrito: ¨ Acautelai-vos e guardai-vos da avareza, porque a vida de cada um não consiste na abundância das coisas que possui ¨Ainda em Lucas vamos encontrar no capítulo 16 v13: ¨Não podeis servir, ao mesmo tempo, a Deus e a Mamon ¨

Na antiguidade alguns povos chamavam o Deus  da fortuna de Mamon, alguns o consideravam até mais importante que o nosso Pai Criador, justo e amoroso. No Evangelho Segundo o Espiritismo Capítulo XVI, traz bem explicado essa definição.

Salvação dos Ricos, Guardai-vos da avareza, Jesus na casa de Zaqueu, e a Parábola do mau rico.  São subtítulos com todas as explicações que precisamos para entender quanto é prejudicial a avareza. A encarnação é fator importante na nossa evolução espiritual, para conseguirmos a chegar à perfeição. Quando  vivenciamos novas reencarnações temos  a oportunidade de  nos transformar  em uma pessoa melhor  reconhecendo nossos  erros, pois nossa vida é um constante aprendizado.

Muita Paz  

Espíritas amai-vos; espíritas instrui-vos.
Janeiro 2012
S T Q Q S S D
« Dez   Fev »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores