O homem comum, em todas as latitudes da terra, guarda habitualmente, o mesmo padrão  de atividade normal. Alimenta-se, veste-se, descansa, dorme, pensa, fala, grita, procria, pede, reclama, chora, agita-se.

Em suma, consome e, muitas vezes, usurpa a vitalidade dos reinos que se lhe revelam inferiores. É o serviço da evolução.Para isso, concede-lhe o Senhor grande quota de tempo. Cada semana de serviço útil, considerada em seis dias ativos, é constituida de 144 horas, das quais as criaturas mais exepcionalmente consagradas à responsabilidade gastam  48 em trabalho regular.

Nessa curiosa balança, a mente encarnada recebe um saldo de 96 horas , em seis dias, relativamente ao qual raríssimas pessoas guardam noção de consciencia . Por semelhante motivo, a sementeira gratuita da fraternidade e da luz, para o seguidor de Cristo  se reveste  de especial significação. Enorme saldo de tempo exige avultado serviço extra.

Em razão disso às portas da vida eterna, quando a alma do aprendiz, no exame de aproveitamento além da morte, alega cansaço e se reporta aos trabalhos triviais que desenvolveu no mundo, a palavra do Senhor sempre interrogará, inquenbrantável e firme:

– ¨ Que fizeste de mais ¨

Andre Luiz

Muita Paz