Para uma mulher tornar-se uma boa mãe, não há como ensinar,  não se dita regras nem cria-se modelos ideais, algumas mães cofundem o amor materno como permissão a todos os desejos de seus filhos esquecendo-se que os limites na educação da criança, faz parte do amor.

¨Criança sem limites¨

Muitas não querem se privar da sua liberdade,  mantendo seus desejos em primeiro lugar e compensam seus filhos com excesso permissões,   que podem ser prejuduciais a formação do pequeno ser. Não encontram o ponto de equilibrio entre sua própria liberdade e os direitos e deveres de seus filhos.

O amor de mãe não é institivo. O Espirtismo nos ensina que o amor de mãe,   é um sentimento  conquistado como todas as virtudes, mas que infelizmente muitos espiritos fracassam na sua missão.  Enquanto há mulheres que doam simplesmente seus filhos, outras  abandonam em vias públicas oo mesmo no lixo.  Outras amam extremamente filhos adotivos, gerado por outras mulheres.

Não basta gerar e dar à luz a um ser humano para ser mãe. Ser mãe é criar, educar, abdicar de muitas coisas na vida em favor  da evolução daquele filho, mesmo que não tenha sido gerado no seu ventre. As mães são exemplo de afeto, de renuncia  para a boa formação do filho que Deus lhe confiou. 

Muita Paz

Anúncios