You are currently browsing the monthly archive for Dezembro 2011.

 

Feliz 2012

Faltam poucas horas para começarmos um novo ano, 2011 está chegando ao fim, passou tão rápido, e já estamos às vésperas de 2012. O Poeta Carlos Dromond de Andrade chamou essa passagem de ano de ¨ O milagre da renovação ¨Ele disse que quem teve a idéia de  cortar o tempo em fatias e dar o nome de ano, foi um individuo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e temos a sensação que tudo começa outra vez, com outro número e muita vontade de acreditar que daqui para frente tudo vai ser diferente.

A vontade de renovarmos a vida é grande, então começamos a fazer promessas para nós mesmo, Vou cuidar de mim, vou vencer meus vícios, meu mau humor, vou amar mais, e nesse momento estamos sendo realmente sinceros, realmente queremos mudar.

´Só que para realizarmos os nossos desejos,  não basta desejar é preciso trabalhar essa mudança dentro de nós. Se pararmos para analisar o que significa a passagem do ano , perceberemos que nada se modifica externamente. Tudo continua como na véspera. Os doentes continuam doentes, os que estão nos cárceres continuam lá, os infelizes continuam os mesmos.

Em Mateus Capitulo V v 16 está escrito: ¨Ninguém põe remendo de pano novo em vestido velho¨ isso significa  que no dia seguinte  externamente,  está tudo igual.  A mudança está dentro de cada um de nós!  Somente nós podemos construir um   ¨Ano Novo Feliz ¨

Vamos então aproveitar essa mudança simbólica e vamos renovar aquilo que nos incomoda: Perdoar um inimigo, trabalhar mais, volvemos ao arado das nossas obrigações. Temos agora pela frente 365 novos dias com novas oportunidades, pois a cada dia de nossas vidas nasce uma oportunidade.

Tivemos tristezas, mas também tivemos alegrias e nosso Mestre Jesus esteve sempre ao nosso lado. Então vamos agradecer a Deus,  o ano de 2011 que se finda, pois nos trouxe muito aprendizado. Agradecer o que foi possível fazer e o que não foi feito, o trabalho que pudemos realizar, as lágrimas de alguém que pudemos enxugar.

Queremos também pedir perdão pelo que não fizemos e poderíamos ter feito, pelas palavras inúteis que pronunciamos, pelas ofensas que atiramos aos nossos semelhantes, pela nossa falta de coragem de pedir perdão. Pela oração que esquecemos de fazer, ou não fizemos  porque  estavamos revoltados .

Que Deus nos abençoe e nos dê coragem para prosseguirmos a nossa jornada. Que tenhamos um 2012 cheio de paz, de harmonia, amor, comprensão e renovação.

Muita Paz

. Tatuagem e espiritismo combinam?  Muitas pessoas têm dúvida se o Espiritismo permite tatuagens para o trabalhador espírita. Em princípio, cabe lembrar que a Doutrina Espírita nada proíbe. No entanto, dota os indivíduos de elementos para reflexão para que decidam conscientemente. Não é a utilização de tatuagens que desmerecerá o caráter de uma pessoa. No entanto, alguns tipos de tatuagens, com motivos funestos, classificam-se como inconvenientes e impróprias para um trabalhador espírita.

 Segundo Divaldo Pereira Fraco, respeitado médium e orador espírita, pessoas que tatuam o corpo inteiro ou o enchem de piercings, são almas que ainda trazem reminiscências vivas de encarnações em épocas bárbaras, quando guerreiros sanguinários se utilizavam desses meios para se impor frente aos adversários. Necessário sairmos da superficialidade. A questão cultural é muito importante para entendermos porque alguns povos adotam certos costumes estranhos a outras culturas.

Na Tailândia, fronteira com Myanmar, antiga Birmânia, existe uma tribo isolada onde as mulheres cultuam pescoços longos. Para tal, utilizam argolas no pescoço, desde a infânciapara provocar o aumento do pescoço. Para os integrantes da tribo, todo este procedimento é muito natural, pois faz parte de suas crenças e seus costumes. Trata-se de culto ao corpo e a beleza, sem conotação de auto-agressão.

 Nota-se que a compreensão espiritual dos nativos dessa tribo é bastante diferenciada do restante do mundo. Essas particularidades de entendimento implicam em conseqüências diferentes no mundo espiritual, pois cada qual está na situação de elevação espiritual que já tenha conquistado. É necessário compreender o indivíduo de forma integral. As reações expressas no corpo são conseqüências de seus pensamentos e, estes, resultado das crenças, experiências e visão de mundo.

 Tudo é muito relativo até que se descubra como funcionam determinadas Leis Divinas. A Doutrina dos Espíritos não proíbe – esclarece. Não condena – conscientiza. Não se coloca ‘em cima do muro’, mas mostra como construir e trilhar o melhor caminho. Uma tatuagem por si só não faz ninguém melhor ou pior. No entanto, perguntemos o que está por trás dessa tatuagem? Quais sãos os sentimentos, os anseios, as crenças daqueles que cobrem seus corpos com tais símbolos?

É preciso compreender as razões de alguém tatuar todo o corpo, camuflando-se de si mesmo. Grande parte o faz conduzido pelo modismo. Outros tantos ainda se encontram presos a hábitos de outras encarnações, que transitam do inconsciente para o consciente do indivíduo, resultando na transfiguração do indivíduo.O Espiritismo não julga, porém compreende que, com o amadurecimento, o Espírito cultivará apenas os valores que nortearão sua verdadeira vida. Tatuagens, piercings são todas práticas transitórias. Convém perceber, contudo, se tais pessoas estão abaladas, desequilibradas emocional e espiritualmente.

 O que as faz quebrar a barreira do bom senso e do discernimento? Por que provocam para si as dores e sofrimentos? Frente a tais perguntas, a Doutrina Consoladora busca no íntimo do ser o seu real problema. Convida-o ao autoconhecimento e ao exercício do auto-aprimoramento. Recomenda bom senso, amor a si mesmo, equilíbrio e a busca incessante ao Pai Criador, o único que poderá nos preencher de alegria e felicidade. Hoje a moda cobre o corpo de desenhos e objetos. Amanhã o mundo será coberto de almas verdadeiramente engajadas no trabalho de servir, deixando de lado o culto exterior – superficial – para as conquistas de valores espirituais duradouros.

Analisemos a alma para descobrir o porquê do estado do corpo. Compreendamos o profundo para entender claramente o superficial. O certo e o errado; o bem e o mal nada mais são que experiências condizentes ou não com as Leis Naturais. Valorizar o corpo e a alma é ensinamento que todos os homens compreenderão e, então, já não discutiremos assuntos superficiais, mas assuntos da alma. Deixando do lado o embrulho para valorizar o conteúdo.

 Equipe do Pinga-Fogo Enviado por email através do “Fórum Espírita”

Muita Paz

 Vivemos em um país  que se diz cristão onde existem tantas casas religiosas de vários segmentos,  e não estamos conseguindo criar uma sociedade pacífica. Estamos permitindo que as nossas crianças aprendam através dos meios de comunicação  grosserias e violências.

¨Violência na televisão¨

 Os programas infantis são apresentados com muita agressão, onde tudo se resolve com  lutas, socos e mortes. Será que nossas crianças assistindo tanta violência serão adultos pacíficos?  O Brasil conseguiu uma grande vitória contra o cigarro, e o álcool quando começará uma campanha?

O  cigarro causa grande dano a quem usa, isso foi uma grande vitória, mas uma pessoa embriagada causa danos a si mesmo e a muitos que estão a sua volta. Sem falar nas exibições sexuais a qualquer hora do dia. Programas humorísticos e novelas que debocham e exploram as minorias.

Como proceder? Não podemos impedir todos esses fatos comentados, não podemos desejar que as religiões tenham força para impedir tudo isso. Nós espíritas entendemos e devemos fazer a nossa parte na educação das crianças e jovens. Não tentando impedir  que eles tenham conhecimento do que está acontecendo,  o que realmente não conseguiríamos.  Mas orientando principalmente aos pais, para estar mais junto dos filhos explicando a fase em estamos passando, colocando limites nos filhos, mas jamais negando a informação e o amor.

A evangelização das nossas crianças e jovens,  e o apoio aos  pais para superar essa época difícil que estamos vivendo, nos ajudará na formação de adultos conscientes e equilibrados sem precisar escondermos dos nossos filhos  a nossa realidade. 

Muita Paz

 

 

Amélia Rodrigues

Senhor Jesus, muito obrigada!

Pelo ar que nos dás,

Pelo pão que nos deste,

Pela roupa que nos veste,

Pela alegria que possuímos,

Por tudo de que nos nutrimos

Muito obrigada, pela beleza da paisagem,

Pelas aves que voam no céu de anil

Pelas Tuas dádivas mil!

Muito obrigada, Senhor!

Pelos olhos que temos…

Olhos que vêem o céu, que vêem a terra e o mar,

Que contemplam toda beleza!

Olhos que se iluminam de amor

Ante o majestoso festival de cor

Da generosa Natureza!

E os que perderam a visão?

Deixa-me rogar por eles

Ao Teu nobre coração!

Eu sei que depois desta vida,

Além da morte,

Voltarão a ver com alegria incontida…

Muito obrigada pelos ouvidos meus,

Pelos ouvidos que me foram dados por Deus.

Obrigada, Senhor, porque posso escutar

O Teu nome sublime, e, assim, posso amar

Obrigada pelos ouvidos que registram:

A sinfonia da vida,

No trabalho, na dor, na lida…

O gemido e o canto do vento nos galhos do  olmeiro,

As lágrimas doridas do mundo inteiro

E a voz longínqua do cancioneiro…

E os que perderam a faculdade de escutar?

Deixa-me por eles rogar…

Sei que em Teu reino voltarão a sonhar.

Obrigada, Senhor, pela minha voz.

Mas também pela voz que ama,

Pela voz que canta,

Pela voz que ajuda,

Pela voz que socorre,

Pela voz que ensina,

Pela voz que ilumina…

E pela voz que fala de amor,

Obrigada, Senhor!

Recordo-me, sofrendo, daqueles

Que perderam o Dom de falar

E o Teu nome não podem pronunciar!…

Os que vivem atormentados na afasia

E não podem cantar nem à noite, nem ao dia…

Eu suplico por eles

Sabendo, porém, que mais tarde,

No Teu Reino voltarão a falar.

Obrigada, Senhor, por estas mãos, que são minhas

Alavancas da ação, do progresso, da redenção

Agradeço pela mãos que acenam adeuses,

Pelas mãos que fazem ternura,

E que socorrem na amargura;

Pelas mãos que acarinham,

Pelas mãos que elaboram as leis

Pelas mãos que cicatrizam feridas

Retificando as carnes sofridas

Balsamizando as dores de muitas vidas!

Pelas mãos que trabalham o solo,

Que amparam o sofrimento e estancam lágrimas,

Pelas mãos que ajudam os que sofrem,

Os que padecem…

Pelas mãos que brilham nestes traços,

Como estrelas sublimes fulgindo meus braços!

… E pelos pés que me levam a marchar, erecta, firme a caminhar; pés da renúncia que seguem

humildes e nobres sem reclamar.

E os que estão amputados, os aleijados,

Os feridos e os deformados,

Os que estão retidos na expiação

Por ilusões doutra encarnação,

Eu rogo por eles e posso afirmar

Que no Teu Reino, após a lida

Dolorosa da vida,

Hão de poder bailar

E em transportes sublimes outros braços afagar…

Sei que a Ti tudo é possível

Mesmo o que ao mundo parece impossível!

Obriga, Senhor, pelo meu lar,

O recanto de paz ou escola de amor,

A mansão de glória.

Obriga, Senhor, pelo amor que eu tenho

E pelo lar que é meu…

Mas, se eu sequer

Nem o lar tiver

Ou teto amigo para me aconchegar

Nem outro abrigo para me confortar,

Se eu não possuir nada,

Senão as estradas e as estrelas do céu,

Como leito de repouso e o suave lençol,

E ao meu lado ninguém existir, vivendo

E chorando, sozinha, ao léu…

Sem alguém para me consolar

Direi, cantarei, ainda:

Obrigada, Senhor,

Porque Te amo e sei que me amas,

Porque me deste a vida

Jovial, alegre, por Teu amor favorecida…

Obrigada, Senhor, porque nasci,

Obrigada, porque creio em Ti.

… E porque me socorres com amor,

Hoje e sempre,

Obrigada, Senhor!

Psicografia – Divaldo Pereira Franco 

Poema recebido pelo médium, em Buenos Aires, Argentina, em 21/11/62
e extraído do libro, “Sol de Esperança”

 Conforme as convenções e o calendário da Terra, estabeleceu-se o dia 25 de dezembro como sendo a data em que se celebra o nascimento de Jesus. Nos primeiros séculos, o Natal era comemorado nos dias 06 de janeiro ou 25 de março. Aliás, o teólogo Orígenes em 245, repudiou a idéia de festejar o nascimento do Cristo como se Ele fosse um faraó.

A partir de 440 a data foi fixada, provavelmente para cristianizar as festas pagãs que ocorriam nesse período do ano (Nascimento do Vitorioso Sol, a Saturnália, etc). Francisco de Assis foi o introdutor da idéia do presépio, no século XIII.

E a “arvore de Natal”, de origem germânica, apareceu no tempo de S. Bonifácio (o Apóstolo da Alemanha, 680-754), dentro do objetivo de substituir os sacrifícios ao carvalho sagrado de Odin, ao adorar-se uma árvore, em homenagem ao Messias. A tradição do Papai-Noel é atribuída ãos alemães, provavelmente em lembrança de um bispo – S. Nicolau (séc. IV) que se notabilizou por ser um religioso paciente e caridoso.

 Protestantes holandeses, radicados nos Estados Unidos da América, o teriam transformado na figura de realizador de sonhos e desejos, originando-se aí a tradição folclórica. As atuais pesquisas históricas indicam que Jesus não teria nascido em dezembro. O engano ocorreu, inicialmente em razão de múltiplos erros, alterações e casuísmo da fixação do calendário oficial, incluindo extensão ou supressão de dias e meses.

 O ano 46 a. c., por exemplo, teve a sua duração aumentada para 445 dias, com alguns meses de 34 dias. Quando se quis fixar o nascimento de Jesus a partir 753 da fundação de Roma, por engano não se inclui o ano zero, o que significa uma diferença para menos. Conciliando estas divergências e considerando o calendário das tradições judaicas, verifica-se a possibilidade de Jesus ter nascido no mês de abril, de 4 a 6 anos antes do que fora anteriormente considerado.

Nunca seria demais relembrar a Introdução do Evangelho segundo o Espiritismo, item 1, onde Allan Kardec diz que e o que mais importa é o ensinamento moral de Jesus, pois não se sujeita a controvérsias e nos oferece verdadeiramente a ciência da vida. Como foi visto acima, o Natal convencionado no mundo está envolto em tradições e simbolismos, dos quais não participa o Espiritismo o que não afasta o nosso dever de respeitar e reconhecer que na época do Natal a sociedade costuma ser envolvida num clima de maior fraternidade.

 Natal espírita não se relacionaria ao nascimento físico de Jesus, mas sim ao seu nascimento “espiritual” em nossas almas. Isto é, o Natal para o espírita é aquele momento em que nós nos impregnaríamos da mensagem evangélica, permitindo a Jesus nascer em nossos corações, para nos tornarmos o “homem novo”. O emérito escritor espírita Pedro de Camargo “Vinícius”, no livro “Em torno do Mestre”, FEB, pág. 192, expressou isto com tanta maestria que nos permitimos reproduzir alguns trechos: “Indaguemos de Madalena, onde e quando nasceu Jesus. Ela nos informará – Jesus nasceu em Betania, certa vez em que sua voz, ungida de pureza e santidade, despertou em mim a sensação de uma vida nova, com a qual, até então, jamais sonhara.

 Ouçamos o depoimento de Pedro, sobre a natividade do Senhor, e ele assim se pronunciará: Jesus nasceu no átrio do paço do Caifás, no momento em que o galo, cantando pela terceira vez, acordou minha consciência para a verdadeira vida…

Chamemos à baila João Evangelista e peçamos que nos diga o que sabe acerca do Natal do Messias. E ele nos dirá: Jesus nasceu no dia em que meu entendimento, iluminado pela sua divina graça, me fez saber que Deus é amor. Interpelemos Tomé, o incrédulo – Quando e onde nasceu o Mestre? Ele por certo retrucará: Jesus nasceu em Jerusalém, naquele dia memorável e inesquecível em que me foi dado testificar que a morte não tinha poder sobre o filho de Deus.

 Só então compreendi o sentido de suas palavras: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Apelemos, finalmente, para Dimas, o bom ladrão – Onde e quando Jesus nasceu? Ele nos informará: Jesus nasceu no topo do calvário, precisamente quando a cegueira e a maldade humana supunham aniquilá-lo para sempre; dali Ele me dirigiu um olhar repassado de ternura e piedade, que me fez esquecer todas as misérias deste mundo e antegozar as delícias do paraíso.

Desde logo, senti-O em mim e Nele. Tal foi o testemunho do passado – tal é o testemunho do presente, dado por todos os corações que, deixando de ser quais hospedarias de Belém, onde não havia lugar para o nascimento de Jesus, se transformaram, pela humildade, naquela manjedoura, que o amor engenhoso da mais pura e santa de todas as mães converteu no berço do redentor do mundo.

 Inspirados por tão sábias e edificantes reflexões, repassadas de beleza, rogamos que o Natal “verdadeiro” se faça em nossos corações, para que possamos renascer para uma nova vida, em harmonia com as Eternas Leis…

Muita Paz e um Feliz Natal a todos

SEI – Serviço Espírita de Informações

¨Estudo da Doutrina Espíritta ¨

Erasto foi considerado por Allan Kardec, um espírito que produziu comunicações com incontestável lógica, um profundo conhcedor do fenômeno mediunico.  ¨No Evangelho Segundo o Espiritismo ¨ e ¨No Livro do Médiuns¨ existem várias comunicações de Erasto.

Aprendemos que na terra não eistem médiuns perfeitos porém existem bons médiuns e mesmo assim são raros, isso explica que não existem comunicações isentas de falhas, o bom médium é aquele que é enganado menos vezes por espíritos inferiores.

Temos recomendações de S.Luiz e de Kardec que disseram:  ¨Por mais confiança que vos inspirem um espírito, nunca é demais repetir que deveis vos entregar ao estudo¨  , pesar e analisar  submetendo sempre ao controle da razão, todas as comunicações que receberdes.

¨Mais vale rejeitar dez verdades do que admitir uma única mentira, uma única teoria falsa ¨ Na dúvida , abstém-te ¨por isso Allan Kardec considerou Erasto um espírito superior, pois ensinou tanto com tão pouco, Existem ¨Espíritos famosos¨ verbosos e prolixos . Erasto é um ilustre desconhcecido para  muitos. Porém  é importante  que  seja redescoberto.

Muita Paz

Culto doméstico ou Evangelho no lar. Relembrando a importância de vinte ou trinta minutos semanais, que tem a função principal de unir e equilibrar os moradores desse lar. Escolher um dia na semana e realizar o culto sempre no mesmo dia e horário. Mesmo que os nossos familiares não compartilhem conosco façamos sozinhos.

Como fazer o Evangelho: Iniciar com uma prece. Abrir o Evangelho Segundo o Espiritismo aleatóriamente,  e ler o item.Em voz  alta, (normal), fazer um breve comentário da mensagem, sem polemizar. Agradecer aos protetores a sustentação dada, e encerrar com prece de agradecimento.

 No início  aparerecem dificuldades para que possamos realizar, mas com persistência acabam-se os obstáculos. Nessa época de férias em que muitas famílias viajam, podemos cumprir o nosso compromisso onde estivermos,   realizando o culto do Evangelho no mesmo dia e horário e levando o nosso pensamento ao nosso lar.

¨Evangelho no Lar ¨

O poeta Casimiro Cunha escreveu um belo poema sobre  ¨O Culto Doméstico do Evangelho ¨

 

Culto Doméstico

 

Quando o culto do Evangelho

Brilha no centro do Lar,

A luta de cada dia

Começa a santificar.

 

Onde a lingua tresloucada

Dilacera e calunia,

Brotam flores luminosas

de sacrosanta alegria.

 

No lugar em que a mentira

Faz guerra de incompreensão,

A verdade estabelece

O império do Amor cristão.

 

Onde a ira ruge e morde,

Qual rude e invisível fera,

Surge o silêncio amoroso

Que estende, respeita e espera,

 

A mente dos aprendizes,

Bebe luz em pleno ar,

Todos disputam contentes,

A glória do verbo dar.

 

A bênção do culto aberto

Na Divina diretriz,

Conversa Jesus com todos

E a casa vive feliz.

 

Quem traz consigo alegria

Combatendo a treva e o mal,

Encontra a porta sublime

Do Reino Celestial.

Muita Paz

 

Chico Xavier conta que certa ocasião, sua mãe lhe apareceu e o aconselhou a usar a água da paz, quando fosse provocado. Até   porque muitas vezes dizemos algo que não gostaríamos. Disse ela: quando alguém lhe disser algo desagradável,  beba um pouco de água e a conserve na boca . Não joque fora nem engula. Enquanto perdurar a tentação de responder manteha a água na boca.

Comprendeu a lição de humildade e silêncio que sua mãe lhe dera. Logo após esse episódio, sentiu o braço pesado, tomou o lápis e recebeu a seguinte mensagem:

Casemiro Cunha ¨Poeta fluminense¨

Meu amigo, se desejas

Paz crescente e guerra pouca,

Ajuda sem reclamar

E aprende a calar a boca.

E o espírito comunicante se identificou como: Casimiro Cunha

Muita Paz

 

O homem comum, em todas as latitudes da terra, guarda habitualmente, o mesmo padrão  de atividade normal. Alimenta-se, veste-se, descansa, dorme, pensa, fala, grita, procria, pede, reclama, chora, agita-se.

Em suma, consome e, muitas vezes, usurpa a vitalidade dos reinos que se lhe revelam inferiores. É o serviço da evolução.Para isso, concede-lhe o Senhor grande quota de tempo. Cada semana de serviço útil, considerada em seis dias ativos, é constituida de 144 horas, das quais as criaturas mais exepcionalmente consagradas à responsabilidade gastam  48 em trabalho regular.

Nessa curiosa balança, a mente encarnada recebe um saldo de 96 horas , em seis dias, relativamente ao qual raríssimas pessoas guardam noção de consciencia . Por semelhante motivo, a sementeira gratuita da fraternidade e da luz, para o seguidor de Cristo  se reveste  de especial significação. Enorme saldo de tempo exige avultado serviço extra.

Em razão disso às portas da vida eterna, quando a alma do aprendiz, no exame de aproveitamento além da morte, alega cansaço e se reporta aos trabalhos triviais que desenvolveu no mundo, a palavra do Senhor sempre interrogará, inquenbrantável e firme:

– ¨ Que fizeste de mais ¨

Andre Luiz

Muita Paz  

¨Súplica

Deus, não consintas que eu seja o carrasco que sangra as ovelhas, nem uma ovelha não mãos dos algozes.

Ajuda-me a dizer a verdade na presença dos fortes, e jamais dizer mentiras para ganhar os aplausos dos fracos.

Meu Deus!

Se me deres a fortuna não me tires a felicidade;

Se me deres a força, não me tires a sensatez;

Se me for dado prosperar, não permita que eu perca a modéstia, conservando apenas o orgulho da dignidade.

Ajuda-me a apreciar o outro lado das coisas,  para não enxergar a traição dos adversários, nem acusá-los com maior severidade  do que a mim mesmo.

Não me deixe ser atingido pela ilusão da glória,  quando bem sucedido nem desesperado quando sentir insucesso.

Lembra-me que a experiencia de um fracasso poderá proporcionar um progresso maior.

Oh! Deus!

Faz-me sentir que o perdão é a maior demonstração de força, e que a vingança é prova de fraqueza.

Se me tirares a fortuna, deixa-me a esperança.

Se me faltar o bem estar da saúde, conforta-me com a graça  da fé.

E quando me ferir a ingratidão e a incompreensão dos meus semelhantes, cria em minha alma a força da desculpa e do perdão.

E, finalmente Senhor, se eu te esquecer, te rogo mesmo assim, nunca te esqueças de mim!

Autor desconhecido

Muita Paz

 

Espíritas amai-vos; espíritas instrui-vos.
Dezembro 2011
S T Q Q S S D
« Nov   Jan »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores