You are currently browsing the monthly archive for Setembro 2011.

Em  ¨ O Livro dos Espírito ¨ pergunta 723, Allan Kardec indaga para a espiritualidade:  A alimentação animal para o homem, é contrária a lei natural? – Na vossa constituição fisica, a carne nutre a carne, pois do contrário o homem perece.  A lei de consevação impõe ao homem o dever de conservar as suas energias e a sua saúde, para poder cumprir a lei do trabalho . Ele deve alimentar-se, portanto, segundo exige a sua organização.

¨A cada reencarnação subimos alguns degraus da evolução¨

Nos últimos tempos temos notado um movimento  que pretende incluir na Doutrina Espíritas algumas proibições,  entre elas o consumo de carne,  possivelmente são  pessoas que não concordam com este tipo de alimentação, e que afirmam receber comunicações de espíritos dando essa orientação. Provavelmente são inspiradas por espíritos afins,isto é,  espíritos que também não concordam com a alimentação animal.

Mas Kardec obteve a resposta da espiritualidade sobre o assunto como vimos na pergunta 723,  sua pergunta foi clara, assim como a resposta. O homem é onívero, preparado para se alimentar de animais e vegetais. Se chegarmos à conclusão que o homem não precisa de carne, estaremos admitindo uma falha na natureza, em relação a organização  do homem.

Evidente que existem seres humanos que não consomem carne,  e outros  nem os seus derivados,  mas é uma decisão pessoal que deve ser respeitada, pois cada um tem o direito de usar o seu livre arbitrio.  Mas é importante que respeitem as pessoas que tem necessidade da ingestão de carne. Inadimissível é  atribuir o fato de não ingerirem carne,  como  sendo uma situação de elevação espiritual.  Alegando que os animais tem alma.  Vamos encontrar nas obras de Kardec a afirmação  que há uma grande distância entre a alma dos animais e dos homens.

Inadimissível também,  quando  colocam a  sua decisão,  como sendo orientação da Doutrina espírita. No estágio em que nos encontramos, muitos de nós tem necessidade da carne, é injusto afirmarem em nome da Doutrina que o homem seria mais evoluido se desistisse de ingerir carne.

Ainda em ¨O Livro dos Espíritos¨pergunta 724 Kardec pergunta: A abstenção  de alimentos animais ou outros, como expiação, é meritória? – Sim , se homem se privar em benefício do seu semelhante. Eis porque dizemos que aqueles que se privam pela aparência são hipócritas. Ou seja se os vegetarianos se privassem de carne para mandar para região onde há famintos seria meritório.

Aqueles que não comem carne por intolerância ou dó dos animais, devem ser respeitados,  mas  não devem  interferir na decisão alheia, principalmente alegando que essa decisão faz parte da   Doutrina espírita. Disse Jesus: Não é o que entra pela boca  o que contamina o homem, mas o que sai dela.

Muita Paz 

Quando entro nas catedrais

Onde espero encontrar a paz,

Vejo um Cristo pendurado,

Numa cruz feita de ouro

Que pereniza o desdouro

De um erro que está

gravado.

 

Mas eu busco um de verdade,

Não que me inspire piedade

Traido e preso ao madeiro;

Quero um Cristo que oriente,

E que minha alma apascente

Ao me servir de luzeiro.

 

Meu Cristo é o Cristo divino

Igual aquele menini

Que nasceu na manjedoura,

Porque aquela criança

Veio trazer a esperança

De uma fé imorredoura.

 

O Cristo que eu necessito

É um ser calmo e bonito,

Que não conheceu fracasso.

Por isso em minha missão

Eu uso a sua lição

para guiar os meus passos.

 

O filho do Carpinteiro,

Vendido no mundo inteiro,

Por religiosos venais.

Serve hoje de criado

E nos templos é usado,

Em sórdidos comerciais;

Quero o Cristo caminhando,

pelas ruas ensinando,

E não um morto pregado,

Abandonado e sozinho,

Com uma coroa de espinhos

E o peito dilacerado.

 

Não quero o Cristo suarento,

Exibindo sofrimento

Imóvel, quase sem luz.

Quero vê-lo entusiasmado,

Tendo o rosto iluminado,

Como era o Mestre Jesus.

 

Eu busco o Cristo da paz,

E não esse que ali jaz,

jogado como indigente,

Quero-o de sandália e manto,

Andando e enxugando o pranto,

Daquele que está doente.

 

Meu Cristo é o Cristo de Deus,

Que ama até mesmo os ateus,

pois faz de homens irmãos.

   Este é o meu Cristo Jesus,

Que me orienta e conduz

Nas lutas da evolução.

                                                                                                                                                                    RIE – setembro de 2010                      Octávio Caúmo Serrano

 

A inquisição foi instituida em 1232, pelo papa Gregório IX.  E  durante  alguns séculos a igreja queimou homens  que não concordavam com as suas idéias.   Hoje a igreja pede desculpas pelo que fez, mas ainda ignora muitos atos praticados por seus representantes  religiosos. 

O Espiritismo também sofreu com o poder da inquisição.  Que sob o título  do ¨Auto de Fé de Barcelona¨ no dia  9 de outubro de 1861, às 10 horas e 30 minutos  da manhã, o fogo da inquisição, incinerou  300 livros espíritas enviados por Allan Kardec ao livreiro Maurício  Lachâtre, livros  que estavam  acompanhados  da documentação legal.

Auto de Fé de Barcelona

Porém a multidão curiosa, pegou o resto dos livros queimados para saber  o que havia naqueles livros  que a igreja temia tanto que caísse nas mãos do povo. Allan  Kardec   quis processar os responsáveis, mas os Espíritos lhe disseram que    com esse ato da igreja, o Espiritismo  havia conseguido a divulgação necessária para aquela época.

A inquisição passou,  mas o preconceito contra o Espiritismo continua.  Ainda assim a Doutrina Espírita continua crescendo. O Espiritismo é a religião da caridade, do perdão, e do amor. Seu ensino é  exatamente o de  que Jesus Cristo.  O Espiritismo não  é a religião que ampara  apenas os ¨ mortos ¨ ampara também os ¨vivos ¨.

Muita Paz

 

O dirigente de uma casa Espírita deve dar o exemplo para os demais participantes. Em princípio ele será dirigente  apenas por algum tempo,  logo será substituido, e a sua maneira de trabalhar influenciará os que lhe sucederão. Nas Casas Espíritas   várias pessoas atuam  na busca  do  mesmo objetivo, que é a busca da verdade e a ajuda ao seu próximo. E quando forma um grupo  há necessidade  de  um dirigente.

É importante que os dirigentes estimulem o grupo para que as atividades da casa, para que estas  se realizem dentro de um clima de harmonia e ordem, além de conhecer a doutrina o dirigente precisa ter a mesma conduta dentro e fora da instituição. U ma das virtudes importante para este cargo é saber ouvir os seus companheiros de trabalho.  

¨O Evangelho manual do dirigente ¨

Sem a intenção de ensinar o que ainda está aprendendo o dirigente deve ser democrático sem ser permissivo, sincero sem ferir os sentimentos alheios, conviver com as diferenças e aprender a aceitar críticas sem ficar ofendido. Em Mateus  Capítulo 20 Vv. 20 a 28, Jesus ensina que a liderança é não querer ser o maior, mas servo dos demais.

O dirigente Espírita deve aproveitar o seu tempo de liderança para ensinar o que sabe,  e humildade para  aprender o que ainda não sabe, pois a vida aqui no nosso planeta de provas e expiações é um grande aprendizado, e quando  estão  juntos com a mesma intenção, todos tem algo a ensinar uns aos outros .

Muita Paz 

Palestra Espírita

O uso da palavra na casa espírita não é um fato novo , o palestrante é um instrumento  de orientação para os Espíritos encarnados e desencarnados, e Tiago nos dá essa informação  no capítulo 3 Vv 6:  ¨ A lingua também é um fogo; como mundo de inquidade, a lingua está posta  entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso  da natureza, e é inflamada pelo inferno ¨ e continua em  no Capítulo 3  Vv 8 e 9; ¨Com ela bendizemos a Deus nosso Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus ¨.

O poder da palavra é muito grande se entendessemos a força que tem a palavra, mudaríamos a nossa atitude mental. Quando o palestrante usa a força da palavra irradia, energia, renovação de fé e consolação, nesse momento todos estão sendo beneficiados encarnados e desencarnados e principalmente ele próprio, pois a inspiração que teve de trazer essa palestra é porque ele precisava ouví-la.

A palestra deve ser transmitida com amor,  com simplicidade, trazendo sempre uma mensagem de Jesus Cristo o nosso Mestre para o coração de todos nós.  O palestrante é o trabalhador  que deve focar a criatura, para que saia da casa mais fortalecido, em paz e com muita esperança no coração.  Não podendo condenar atitudes, pois seu trabalho naquele momento é renovar a fé no coração do seu próximo.

Muita Paz 

Vivemos atualmente em um planeta de provas e expiações, sabemos que estamos aqui para resgatar nossos débitos e corrigir as nossas imperfeições. Se fossemos perfeitos não estaríamos aqui, mas em um mundo mais evoluido. Essa é causa de muitos dos nossos sofrimentos, pois sabemos que para evoluirmos precisamos nos Arrepender, Expiar e Reparar.

Dentre as nossas imperfeições vamos falar um pouco sobre o preconceito, hoje a sociedade já trabalha contra qualquer tipo de preconceito ou descriminação contra o próximo. Por preconceito entendemos uma postura preconcebida em relação a alguém, uma aversão que podem ser etnias, religiões ou sexualidade etc…

                               ¨DIGA NÂO AO PRECONCEITO¨

Todos faremos o mesmo caminho rumo à plenitude

O indíviduo que carrega consigo essa imperfeição da alma são normalmente pessoas orgulhosas e materialistas, embora neguem o fato. Essas imperfeições  trazemos de outras vidas e estamos aqui para tentar corrígí-las ou pelo menos amenizá-las.

Corrigir os nossos preconceitos significa respeitar os nossos semelhantes principalmente na sua escolha de vida sem descriminarmos, entendendo que todos somos iguais, perante Deus e nós não temos o direito de julgar ou desprezar qualquer irmão, quando não vive da mesma forma que nós.

O Espiritismo ensina que todos tem o direito ao uso do seu livre arbítrio, e que  não somos juízes dos nossos semelhantes, não temos o direito de julgar os nossos irmãos, e muito menos de nos sentirmos superiores. Pois essa conduta poderá gerar débitos para a nossa próxima existência.

Muita Paz 

A inveja é uma doença da alma que atinge a muitas pessoas, ela é resultado do orgulho, e na realidade é um tormento para o seu portador.  É um sofrimento para o invejoso a todo momento buscar respostas para certas perguntas como: Por que ele tem e eu não?  ou sou melhor que ele e somemte ele se dá bem. Ele não merece! Tomara que não consiga!  e essa angústia lhe corrói as entranhas.

A inveja é uma energia negativa  que segundo pensam podem atingir outras pessoas.  E as pessoas temem o invejoso e normalmente afastam-se dele,  pois a convivência com o invejoso é algo desagradável. Na realidade a pessoa portadora dessa doença julga-se incapaz  de alcançar seus ideais e isso pode turvar-lhe o juízo.

Difícil de aceitar ajuda, pois não se consideram doentes, muito pelo contrário, vão se sentir mais ofendido achando que mais uma vez estão sendo insultados, normalmente gostam de ficar perto das pessoas que eles sentem inveja, parentes, vizinhos e nunca de pessoas distantes.

A inveja só atinge os que estimulam o invejoso, contam para ele constantemente o seu sucesso. Então evitemos falar aquilo que pode provocar a inveja do outro ¨ não fales da tua sorte, para aquelas pessoa que se sente sem chances na vida. ¨

¨Orar e Vigiar¨ Para não sentirmos, nem estimularmos a inveja nos nossos irmãos

 

Além de certas condutas básicas,  pratiquemos os ensinamentos do Espiritismo quando ressalta as palavras de de Jesus: ¨Orai e Vigiai ¨para não cairmos em tentação, tenhamos piedade do invejoso, vigiemos também os nossos pensamentos e sentimentos e oremos em favor daqueles que nos perseguem.

Muita Paz

Uma das maiores dificuldades que o ser humano   enfrenta  é a obsessão, isto é, a influencia de Espíritos inferiores em nossas vidas, desde a mais simples obsessão até a subjugação. A subjugação é aquela que produz a paralização da vontade da vítima.

A fascinação é uma ilusão criada diretamente pelo Espírito,  no pensamento do médium. E o médium invigilante  não se considera enganado. Acha-se o melhor em tudo que se relaciona com a Doutrina Espírita. Os Espíritos que se aproximam dele são superiores, sente-se o melhor palestrante, acredita que conhece todas as verdades. E o efeito é muito grave pois todos percebem que está sendo vítima da mistificação, porém  ele não aceita nenhum tipo de ajuda.

Normalmente é bastante popular, tem uma linguagem empolgada, cheia termos técnicos,  inteligente, fala de caridade de amor, porém sempre impõe sua vontade e vivem cercados de pessoas crédulas, que não conseguem enxergar a verdade. Quando suas sugestões não são aceitas, mostra-se contrariado mas coloca-se como incompreendido.

Reverter o quadro não é fácil pois essa pessoas não querem nenhum tipo de ajuda,   não percebem seus defeitos, apenas vê a inveja que os outros nutrem por elas. O que realmente precisamos fazer é nos precaver desse tipo de obsessão através da vigilância; ¨Orai e Vigiai¨ são ensinamentos do nosso Mestre Jesus.

Observemos os elogios que nos fazem, não permitindo que a vaidade possa tomar conta do nosso coração. Evitemos sermos elogiado,  mas trabalhemos como um bom Espírita, Amando,  Estudando, e vivendo o Evangelho de Jesus. Só assim poderemos afastar os Espíritos  que podem nos fascinar. 

Muita Paz

Relendo uma Revista Internacional do Espiritismo de 2009, achei bastante interessante esse artigo a respeito dos sonhos ¨(…) os encarnados dedicados às causas do progresso humano, enquanto dormem, livrando-se parcialmente  do corpo, encontram-se na espiritualidade e confabulam sobre seus trabalhos individuais na terra ¨

Allan Kardec conta na edição de junho de 1866 da Revista Espírita, sobre um sonho que teve e que lhe causou forte impressão. Nele, viu reunido um grupo de pessoas, no que parecia ser uma rua, as quais lhes eram estranhas na sua maioria e, tentando  perceber o assunto de que tratavam, notou surgir um muro próximo uma inscrição brilhante que enunciava:

Descobrimos que a borracha rolada sob a roda faz uma légua em dez minutos… Sem conseguir enxergar mais detalhes, a frase apagou-se, deixando-o bastante intrigado. Já acordado pressentiu que o enunciado escondia um objetivo, mas não atinava qual seria.

Sua saúde, nesse período, carecia de cuidados e tendo consultado o Dr.Demeure, que fora médico na terra, aproveitou para ouví-lo sobre o sonho. O Espírito pediu um prazo a Kardec para inteirar-se do assunto. Essa passagem relatada por Kardec confirma as orientações encontradas nas obras básicas.

O fato é que as pessoas que Kardec viu nos sonhos, na erraticidade, eram reais e trocavam informações para a descoberta do que viria a ser, em breve, o pneu, artefato de borracha fundamental para dar maior agilidade aos veículos de transporte, que começavam a ser desenvolvidos.

O tempo passou e o progresso desenvolveu o pneu e o automóvel, que se transformou praticamente numa necessidade moderna para o delírio das multidões. Dr. Demeure , informou que os encarnados dedicados à causa do progresso humano, enquanto dormem, liberando-se do corpo durante o sono confabulando com os trabalhos individuais da terra.

Esses encontros no espaço explicam ainda o fato do surgimento de idéias idênticas, em vários pontos do globo, praticamente ao mesmo tempo, e que acabam dando origem a grandes e pequenos feitos que têm por fim promover o avanço da humanidade.

Muita Paz 

 Qual é o significado da tristeza e como lidar com ela?
Na tristeza ficamos tristes.
Quando perdemos alguém.
Quando perdemos.
Quando as coisas não são como queríamos que fossem.
Quando as pessoas não são como queríamos que fossem.
Quando o mundo e a realidade não são o que queríamos que fossem.
Quando não somos o que gostaríamos de ser.
Quando não temos o que gostaríamos de ter.

Porém,
se nos lembrarmos
que as coisas são como são
que as pessoas são como são
que nós, o mundo e a realidade são o que são
e que podemos apreciar o que temos invés de lamentar o que não temos,
começamos a entrar no mundo da não dualidade.

Se houver sabedoria e compaixão perceberemos que a tristeza, mesmo profunda, é passageira.
Perceberemos que se as coisas, as pessoas, o mundo, a realidade e nós mesmos estamos num processo contínuo de transformação
Então poderemos pensar em nos tornarmos essa transformação que queremos no mundo.
Para que haja menos tristeza, mais alegria, mais compartilhamento e harmonia.

O  contentamento com a existência é um dos ensinamentos principais de Buda:

“a pessoa que conhece o contentamento é feliz, mesmo dormindo no chão duro; a pessoa que não conhece o contentamento é infeliz mesmo num palácio celestial.”

Então, quando sentimos tristeza, observamos a tristeza.
Como está nossa respiração?  Como estão os batimentos cardíacos?  Como está a nossa postura?  Que pensamentos são esses que me fazem deixar os ombros cair para frente, baixar a cabeça e, quem sabe, chorar?
Como se formam as lágrimas?
E, mesmo em meio a lágrimas, podemos sorrir e perceber que enquanto vivas criaturas temos esta experiência extraordinária e bela de poder ficar triste.
Tristeza que vem.
Tristeza que vai.
E sem se apegar a coisa alguma e sem sentir aversão a coisa alguma descobrimos o verdadeiro sentido da vida.
É assim que trabalhamos a tristeza.

Sentar-se, observar a si mesma.
Postura correta, alongamento da coluna vertebral, abrir o diafragma e respirar profundamente.  Inspiração mais curta, expiração mais longa.  Saboreando o ar.  Ombros alinhados e retos, postura de Buda.
Ensinamentos de sabedoria nos auxiliam a sair da toca, do casulo de separatividade que falsamente criamos e de nos lembrarmos que sempre há pessoas e situações piores do que a nossa, sempre há pessoas e situações melhores do que a nossa e nunca, nunca, perder a dignidade.
Tristeza boa é da saudade de alguém que logo poderemos rever.
Tristeza ruim é aquela que náo queremos deixar passar.  Aquela na qual nos agarramos, pois nos dá uma identidade, nos torna especiais.  Especialmente tristes. Comoventes, Vítimas a serem apiedadas e cuidadas.  Ah!  Quanta carência.

Abandonar a tristeza é abrir as mãos, o coração, a mente para a emoção seguinte. 
É lavar o rosto, olhar para a imensidão do céu, da Terra, do mar e perceber a pequenês da nossa vida.

Sem culpa e sem culpar ninguém.

Sinta a tristeza, reconheça, respire a tristeza e a deixe passar.

Mãos em prece
Monja Coen

 
Mensagem enviada por meu amigo:   Luiz Carlos Magaldi Filho
Espíritas amai-vos; espíritas instrui-vos.
Setembro 2011
S T Q Q S S D
« Ago   Out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores