¨Se penso, logo existo¨ A frase é uma conclusão do filósofo e matemático francês Descartes alcançada após duvidar da sua própria existência, mas comprovada ao perceber que podia pensar.  Ao pôr em dúvida todo o seu conhecimento,  concluiu que apenas poderia ter certeza  que pensava,  e se pensava necessariamente existia.

Toda criatura tem a liberdade pensamento e de ação, de escolher e decidir seus atos.  Sejam  eles bons ou maus. As ações são inerentes ao ser humano. O homem  tem a liberdade de expressar suas idéias e sentimentos pelo pensamento, palavras e ações. Somos livres pensadores. Deus sendo justo não criaria seres inteligentes voltados para o nada.

O instinto de imortalidade é inato ao ser humano, ele  sabe que existe algo além da matéria. Todo ser humano foi criado simples e ignorante, e a partir da necessidade de sobrevivência, percebe que pode pensar e agir, começando a fazer uso do seu livre arbítrio.

 

Segundo a Doutrina Espírita,  os espíritos questionados por Kardec esclareceram  essa questão  da seguinte maneira: É pelo pensamento que o homem tem uma liberdade sem limite, pois o pensamento não encontra barreiras. Pode ser impedido em  suas ações,  jamais no seu pensamento.

E ninguém conhece o pensamento do homem além de  Deus. Para direcionar seus pensamentos o homem tem a sua vontade  livre,  para exercer suas ações.  Sem essa liberdade o homem seria um ser  sem escolha. Concluimos que é inerente ao ser humano a liberdade de pensar, a liberdade de consciência e o livre arbítrio, para escolher uma ação boa ou má.

¨O plantio é opcional mas, a colheita é obrigatória¨

Porém a Doutrina Espírita nos ensina que toda ação tem uma reação. E que o plantio é sempre livre, mas a colheita é obrigatória.

Muita Paz

Anúncios