Na pergunta 974 em ¨O Livro dos Espíritos¨ Kardec perguntou a espiritualidade: De onde procede a doutrina do fogo eterno?  Resposta: –  Imagem, como tantas outras, tomada como realidade.

Continuando na 974-a: Mas esse temor não pode ter um bom resultado? Resposta: – Vede se ele refreia aqueles que a ensinam. Se ensinais coisas que a razão rejeitará mais tarde, produzireis uma impressão que não será durável nem salutar.

O homem  incapaz de traduzir na sua linguagem a natureza desses sofrimentos, não encontrou para ela comparação mais enérgica que a do fogo, pois esta é para ele o tipo de súplicio mais cruel e o simbolo da ação mais enérgica. È por isso que a crença do fogo eterno remonta à  mais alta antiguidade e os povos modernos os herdaram dos antigos. É ainda por isso que, na sua linguagem figurada, ele diz: o fogo das paixões, queimar de amor, de ciúmes etc..

Na RIE de junho de 2008, encontramos um artigo que relata que no ano de 2007, o papa Bento XVI reiterou, em um sermão para fiéis em Roma, que o inferno não é uma imagem literária – trata-se realmente de um lugar onde as pessoas  queimam por toda a eternidade.

 

¨ Inferno ¨

Moisés para conter os povos rudes do seu tempo, mostrou  um Deus punidor, violento, vingador que ensinava, mas não perdoava, muito parecido com os ¨seres  humanos¨. E nesse caso,  muitos o seguem por medo,  de não agrada-lo e serem condenados  ao fogo eterno. Pois Deus não perdoa e sim condena.

Qual o papel de Jesus Cristo? Que veio nos ensinar o amor e o perdão, que ensinou que devemos perdoar setenta vezes sete cada ofensa recebida.  E que  Deus nosso Pai  nos dá o seu  perdão.

Me perdoem a comparação,  mas qualquer ¨pai ou mãe terrena¨ perdoa e ama o seu filho, mesmo diante dos seus erros e jamais condenariam um  filho ao fogo da eternidade.  Jesus veio nos mostrar um Deus amoroso, que perdoa e dá tantas oportunidades aos seus filhos, quantas forem necessárias, até encontrarem o caminho do bem,  e que jamais consentiria em deixá-los nas mãos de Satanás  queimando eternamente.

Quando disseram que Deus foi criado a nossa semelhança, queriam dizer que ele é igual também  nos nossos defeitos? Punidor, vingador?  Por isso vemos tantos seres na humanidade revoltados com Deus. E pior julgando os atos de Deus.

Por que Deus me abandonou? Por que consente tantas tragédias? Onde estava  Deus diante das catástrofes? Por que Deus levou meu filho etc… Para crer num Deus assim, muitos preferem crer que depois da morte nada existe, na realidade é mais consolador, do que arriscar ir para o inferno.

Deus é a inteligencia suprema causa primária de todas coisas. Deus é eterno, imutável, imaterial, único, poderoso, soberanente justo e bom. Deus é amor!  E ama a todos os seus filhos bons ou maus.  Jesus Cristo seu filho amado, ensinou que  o bom pastor não perde nenhuma das suas ovelhas que todas serão reconduzidas ao caminho do amor.

Deus não precisa ser temido, Deus deve ser amado, quem aceita suas  leis por amor e confiança não põe seu amor em julgamento.

Muita Paz