Em muitas religiões a abstinência sexual é vista como algo santificado. Sendo  considerado o sexo como um ato animalizado. Porém,  quando duas  pessoas  resolvem casar-se, precisam da benção de Deus, e seguir certas regras no seu relacionamento sexual. Algumas religiões declararam o sexo ser ¨pecaminoso¨ Até mesmo entre os cônjuges, afirmando que o prazer de carne é pecado. 

Ao contrário das religiões conservadoras, especialistas em psicologia e sociologia, trabalham  para que o ser humano,  possam  libertar-se das amarras que são impostas pela educação religiosa, e para que o sexo seja algo prazeroso, sem culpa, sem compromisso  com a procriação.

 

No Espiritismo o sexo é visto como algo respeitável, que exige educação e controle, os amigos espirituais não o reconhecem  como um ato  animalizado e pecaminoso. O sexo é tão importante quanto a alimentação do corpo, e sob outro ponto de vista, um meio de tranferência de energias mútua.

Se Deus  permite que a prática  sexual seja prazeroza, ele o quis, visando a harmonia do universo. E ela não se restringe somente a procriação. Não sendo saudável no ato sexual  a promiscuidade, como  troca de casais e outros tipos de perversão que todos sabemos quais são.

O sexo deve ser praticado entre pessoas que se amam, e respeitam-se. E quando é impelido por uma disposição afetiva.  A conduta humana, apresenta-se como demonstra o seu nível de evolução espiritual, o importante é não causar constrangimentos, ao seu parceiro (a),  para que essa relação seja sadia e estável.

Muita Paz 

Anúncios