No dia 25 de novembro comemora-se o dia da Não violência contra a mulher. Essa data foi criada em 1981, na Colômbia, para homenagear  3 irmãs mortas violentamente ao desafiarem o governo. Essa data foi aceita pela ONU em 1999. Esse movimento teve como finalidade sensibilizar os governantes contra essa violência.

Porém as mulheres continuam sendo vítimas de violências domésticas, assistem seus pais agredindo suas mães e a elas também,  e  depois continuam sendo agredidas pelo seu companheiro, que se sentem no direito de maltratar fisicamente e moralmente,  sua mulher, somando-se a violência sexual, que na maioria das vezes acontece dentro da sua própria casa.

A sociedade convenientemente fecha os olhos  a essa situação, não querendo se envolver com estes fatos, e a mulher agredida,  normalmente tem medo de denunciar, pois sabe que pouco ou quase nada acontece ao agressor. Nos anos 70, quando uma mulher traia seu marido e este a matava, a justiça terminava por colocá-lo em liberdade, alegando que ele cometeu este ato em ¨legitima defesa da honra¨ , e muitos crimes contra as mulheres foram justificados .

Basta observar os números alarmantes de violência contra a mulher que ainda ocorre hoje, agressões, estupros conjugais, prisões domiciliares, sem que os culpados sejam punidos corretamente. Assistimos nos filmes,e programas de televisão, a banalização da violência à mulher. E pior, muita gente ainda concorda com o que assiste,  principalmente quando esta mulher é colocado como vilã, muitas mulheres que assistem essa programação aprovam.

Mulher

 

Para o Espiritismo que compreende a lei de ação e reação, justificando que o que plantamos ontem colhemos hoje, e que o verdugo de ontem é a vítima de amanhã.  Não pode aceitar os atos de violência dos seres humanos.  Mesmo que tenhamos sido vítimas no passado, NÃO  justifica ser o agressor no presente. O mau que recebemos Não nos dá o direito de pagar na mesma moeda.

Jesus nos dá um exemplo de não violência contra a mulher, quando os Escribas e Fariseus levaram para a praça uma mulher adultera, para que fosse apedrejada,  como era a lei da época. E ao pedirem a opinião de Jesus,  o Mestre apenas respondeu:

¨Quem estiver sem pecado atire a primeira pedra¨ As mulheres sempre tiveram um papel importante na terra, não vieram apenas para procriar e servir ao homem, elas possuem a sensibilidade que muitos homens desconhecem.  Todos os  seres são iguais diante do Criador, e precisamos alcançar também essa posição neste mundo de provas e expiações.

Apesar de já existir várias delegacias no atendimento à mulher agredida, ainda falta a atuação verdadeira da lei,   para  que essa mulher seja amparada, para que possa refazer sua vida. Existem projetos para auxiliá-las, mas falta apoio emocional,  para que essa mulher possa caminhar com seus próprios pés, pela vida, sem medo do seu agressor.

Ainda estamos muito atrasados espiritualmente.  Presisamos trabalhar hoje, para que no futuro esse mau, seja corrigido. E  trabalharmos na  educação dos nossos filhos. Pedindo forças a Deus,  para que o nosso   lar fique distante da violência. Incluirmos à educação das nossas crianças,  a Evangelização, os ensinamentos de Jesus. O  ensinamento religioso ajudará a criar uma futura geração mais saudável, se ensinarmos aos nossos filhos o Evangelho de Jesus, pois este ensina o amor, o perdão e o respeito entre os seres humanos. Não importa a religião, Espírita, Católica , Evangélica etc… O importante é que essa criança participe da religião dos seus pais, para que possamos ter amanhã um mundo mais livre da violência.

Muita Paz