You are currently browsing the monthly archive for Maio 2011.

Há uma conspiração do silêncio sobre a morte, esse tabu  impede qualquer discussão sobre o assunto. O homem comum comporta-se com se a morte não existisse. No entanto o tema morte sempre foi analisado em várias culturas . Pois cada uma  tem um comportamento diferente para esse acontecimento.

O médico Dr. Raymond Moddy Jr. percebeu em seus estudos  o tabu colocado sobre o tema e observou que:  ¨A despeito de todo esse interesse, ainda permanece a certeza   que é muito difícil para a maioria de nós falar sobre a morte ¨

A Pedagogia Espírita, através de Herculano Pires,  tenta explicar esse tipo de ¨não ¨ aceitação.  E dá como exemplo o pensamento e comportamento de Sócrates diante da morte. Dizendo que a reação do filosófo grego foi de caráter educativo.

 

A morte de Sócrates

Quando Sócrates foi condenado à morte, sua mulher correu aflita para a prisão, anunciando-lhe a sua condenação, e Sócrates respondeu-lhe: ¨Eles também já estão condenados¨ A serenidade do filósofo era produto de um processo educacional.

Jesus também viveu o fim do seu corpo carnal com serenidade, sabia  perfeitamente que a morte do corpo material, era apenas uma transição de uma dimensão para outra. Segundo Hermínio C. Miranda,  ¨O Livro dos Espíritos¨ reinventou a morte. No estudo deste  livro vamos perceber,  que a espiritualidade nos ensina a  familiarizarmos com a morte  ¨observando o sono¨ segundo a Doutrina Espírita é o momento da emancipação da alma.

Essa viagem não podemos deixar de fazer, sejamos  pobres ou  ricos, mas no seu devido tempo.  Como o Espiritismo ensina o bom senso, devemos ter uma conduta equilibrada na nossa vida,  não antecipando a morte, nem nos descuidando da vida.

Somos viajantes do universo, e a morte é uma condição inevitável, para a nossa evolução espiritual.

Muita Paz    – RIE

O álcool é uma droga permitida e aceita socialmente,  só é visto como ameaça, quando ingerida em grande quantidade, ou quando causa desastres. O alcoolismo precoce aumenta consideravelmente,  comprometendo a saúde física e emocional dos nossos jovens.

No Brasil estima-se que mais ou menos vinte por cento da população são alcoolátras, provocando os conflitos familiares, acidentes de trânsito, e mortes violentas.Pesquisas realidadas pela ( UNESCO) , revelou que a dependêcia do álcool, está começando em média em crianças com treze anos, com isso sendo considerado o primeiro passo para as demais drogas.

O álcool na sua primeira fase, torna o individuo alegre e descontraído. Na segunda fase torna-se valentão, criando problemas com quem está á sua volta. Na terceira fase entra em depressão podendo até perder o controle das suas funções fisiológicas.

No livro ¨ Adolescência e Vida ¨ de Divaldo Pereira Franco: Joana de Angelis afirma que ¨ O  alcoolismo desenfreado, sob o disfarce de bebidas sociais, leva os indíviduos a estados degenerativos, a perturbações de várias ordens, torna-se fator predisponente para as famílias seguirem o mesmo exemplo, particularmente os filhos, sem estrutura de comportamento saudável.

Não se ensina a um filho a não beber,  se os pais bebem. O ideal seria não beber. O álcool é um problema muito sério, que preisa de muita atenção e de responsabilidade no seu consumo.

Observe seu filho: Mudanças bruscas de humor, ausências constantes, falta de apetite, olhos avermelhados, enjôos, agressividade, pouco rendimento escolar. Percebendo os sintomas os pais precisam imediatamente tomar providências, em princípio o diálogo sem recrimnações,  e procurar ajuda imediata de um profissional, para juntos resolverem o problema.

Não adiante responsabilizar quem vende a bebida, ela está ao alcance de todos, nos bares, mercados, postos de gasolina, nas reuniões dos jovens. As crianças assistem nas suas primeiras festas infantis os pais e parentes o consumindo  cerveja, e outros tipos de bebidas alcoolicas, para eles é normal,  numa festa, não pode faltar algum tipo de bebida alcoolica. Não esquecendo as propagandas na televisão.

Como lidar com a situação? Proibir, não adianta. A importância do diálogo aberto, mostrando como é a vida pessoal e profissional dos que abusam do álcool, seria interessante, até citar alguns exemplos.

Nós espíritas optamos que além do diálogo aberto com nossos filhos, e  o exemplo dos pais, a Evangelização infantil, e também no período da adolescência, são fortes aliados para nos ajudar evitar esse mal. Pois o jovem  vai aprender sobre  a lei de  ¨ Ação e Reação ¨ ,  sobre o valor do livre árbitrio, entendendo que ele é responsável pelos seus atos, e quando são não adequados, vão gerar sofrimentos para si e para os que o amam.

O união da família, a evangelização,  a frequencia á casa espírita, o culto do Evangelho no Lar, nos ajudará na orientação aos nossos jovens. A melhor maneira de ajudarmos aos nossos filhos é observar, ser carinhoso e presente. O jovem que sente o apoio familiar, a chance é menor de buscar o uso de drogas.

Muita Paz

Certa vez, fui a um padre confessar (antes de tornar-me espírita). Contei-lhe sobre minhas comunicações com os mortos. Para ele, eram forças demoníacas tentando me afastar da Igreja. Veio-me uma mágoa de Deus e comecei a questionar:

– Sou um bom católico, bom sacristão, adoro a Igreja, faço jejum, passo a semana da Páscoa sem comer até o meio-dia. Se Deus não pode com o diabo, eu vou aguentar? O diabo vai me vencer. Como um garoto de 17 anos, do interior, ingênuo, pode vencer o diabo se nem Deus consegue?

Entrei em depressão e fiquei com mágoa de Deus. Confessei-me ao padre:
– Eu vou me matar. Nossa Senhora do Carmo vai ter pena de mim, vai me colocar o escapulário e me tirar do inferno.

Ele me olhou demoradamente e respondeu:
– Não tome nenhuma atitude agora. O demônio às vezes nos perturba para testar a nossa fé; quando não consegue, abandona. Volte para a Igreja.

Era um homem honesto, acreditava piamente em suas idéias.

 

Um dia, ao confessar-me a ele, vi aproximar-se um Espírito. Tive outro conflito:
– Como pode o diabo entrar na sacristia?
Aliás eu via sempre os Espíritos. no momento da eucaristia a hóstia tornava-se luminosa quando colocada na minha boca. Às vezes, em Feira de Santana, via o cônego Mário Pessoa aureolado. No meu entendimento (católico), ele era um santo. As pessoas na hora da fé se iluminavam e eu julgava tudo alucinação.

Quando o Espírito entrou, exclamei:
– Olha, o diabo está vindo, e é mulher!
– Você vê algum sinal particular no rosto dela? – indagou-me o padre.
– Vejo uma verruga acima do lábio.
– E o que mais?
– O cabelo está partido ao meio, penteado com um coque atrás.
– E o que mais?
– Vejo um xale sobre os ombros, com pontas, um xale negro de xadrez.
– Pode ficar tranqüilo, é mamãe.

Ela “incorporou” e conversou com o padre. Quando despertei, ele me esclareceu:
– Divaldo, mamãe veio me alertar. A sua missão não é aqui, vá seguir a tarefa que Deus lhe confiou, porque o bem está em todo lugar.
Fiquei mais tumultuado, porque eu não era espírita, tinha medo, sentia-me de certo modo alijado da Igreja, mas continuava a frequentá-la e ao Centro Espírita.

Tinha conflitos de fé, principalmente quando morreu minha irmã, por suicídio. Mamãe foi encomendar missa a esse mesmo sacerdote, um homem bom, e ouviu dele:
– Dona Ana, não posso celebrar, porque o suicida está no inferno e Deus não o tira de lá.

Foi quando aprendi a primeira lição de lógica e de psiquiatria, com uma mulher iletrada – a minha mãe:
– Padre, então eu renego o seu Deus. Se Ele não é capaz de perdoar não é digno de ser Deus. Sou lavadeira modesta e analfabeta, mas a filha que perdi, eu a perdôo; como é que Deus, que a tem, não a perdoa? Digo mais, quem se mata não está no seu juízo.

Mais tarde eu viria saber que muitos portadores de psicose maníoco-depressiva PMD, vão ao suicídio.

Aprendi muito com esse homem, com mamãe, e quando eu lhe disse que não iria mais à igreja, ela me respondeu:
– Deus está em todo lugar. Se você for justo e agir com retidão, Ele estará com você. Faça o bem, meu filho, porque a verdadeira religião é aliviar o sofrimento alheio.

A partir desse acontecimento integrei-me lentamente ao Espiritismo.

Divaldo Franco

Muita Paz

Em muitas religiões a abstinência sexual é vista como algo santificado. Sendo  considerado o sexo como um ato animalizado. Porém,  quando duas  pessoas  resolvem casar-se, precisam da benção de Deus, e seguir certas regras no seu relacionamento sexual. Algumas religiões declararam o sexo ser ¨pecaminoso¨ Até mesmo entre os cônjuges, afirmando que o prazer de carne é pecado. 

Ao contrário das religiões conservadoras, especialistas em psicologia e sociologia, trabalham  para que o ser humano,  possam  libertar-se das amarras que são impostas pela educação religiosa, e para que o sexo seja algo prazeroso, sem culpa, sem compromisso  com a procriação.

 

No Espiritismo o sexo é visto como algo respeitável, que exige educação e controle, os amigos espirituais não o reconhecem  como um ato  animalizado e pecaminoso. O sexo é tão importante quanto a alimentação do corpo, e sob outro ponto de vista, um meio de tranferência de energias mútua.

Se Deus  permite que a prática  sexual seja prazeroza, ele o quis, visando a harmonia do universo. E ela não se restringe somente a procriação. Não sendo saudável no ato sexual  a promiscuidade, como  troca de casais e outros tipos de perversão que todos sabemos quais são.

O sexo deve ser praticado entre pessoas que se amam, e respeitam-se. E quando é impelido por uma disposição afetiva.  A conduta humana, apresenta-se como demonstra o seu nível de evolução espiritual, o importante é não causar constrangimentos, ao seu parceiro (a),  para que essa relação seja sadia e estável.

Muita Paz 

 ¨O problema dos Espíritas é que eles se preocupam muito com os mortos, mas esquecem de dar assistência aos vivos¨
Esse pensamento são  de pessoas que desencantaram-se com a Doutrina. Evidente que são pessoas que não souberam separar o Espiritismo do ¨espírita ¨ 
Compreendamos, que na verdade o problema não é a Doutrina Espírita, pois  esta prega o ensinamento do Mestre Jesus, que é  o amor, a solidariedade, e o bem estar do seu irmão estando ele encarnado ou desencarnado. 
Não somos frios, nos preocupamos realmente com os mortos, mas não é verdade que os espíritas deixam  os vivos esquecidos. Talvez alguns irmãos espíritas, tenham   dificuldades em demonstrar o seu afeto.  
Mas diante dessa afirmativa, não nos resta outra alternativa , senão trabalharmos intensamente para acabar com essa impressão errada de alguns irmãos. O espírita  se preocupa com os companheiros da jornada terrestre, e sem isso estaria inflingindo um dos ensinamentos de nosso amado Mestre, que é ¨Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo com a ti mesmo ¨
 

¨ Ama e terás o amor ¨


Mas que  esse pensamento dos  nossos  irmãos, decepcionados com a Doutrina, sirva para refletirmos, e trabalharmos para que essa observação seja anulada.  Cultivamos  a amizade com os nossos irmãos dentro da casa que trabalhamos, sem   nos isolarmos dos problemas,  sem nos fecharmos  em pequenos grupos.  Que a nossa fraternidade possa acolher de verdade todos os nossos irmãos encarnados e desencarnados.

Muita Paz

Familia é o ponto de encontro,

Que a vida, em si, nos oferta,

Para conta viva e certa

Do que se tem a fazer;

Às vezes indica, indica empresas

De amor, renuncia e talento,

¨Família ¨ Somos diferentes

De outras, é o pagamento

De débitos a vencer.

No lar, resurgem afetos,

Dedicações incontidas,

Riqueza em luz de outras vidas

No tempo, a se recompor;

Mas também, dentro de casa,`

É que o odio de outras eras,

Abre feridas austeras, Reconduzindo ao amor.

Vemos pais largando filhos

Com desprezo e indiferença,

E os filhos em turba imensa

Combatendo os próprios pais,

Parentes contra parentes,

Lembrando aversões em brasa,

Unidos na mesma casa

Sob direitos iguais.

Se sofrimento em família

É o quadro em que te renovas,

Tolera farpas e provas,

Aceitando-as , tais quais são!…

Não fujas!… Suporta e avança!…

Seja tolerância, aonde vás,

Segurança pela paz

E a paz é luz do Perdão.

                                  Maria Dolores

Possui na atualidade 515 centros espíritas legalizados  segundo as leis do país. Em 1888, por ocasião do primeiro Congresso Espírita Internacional realizado em Barcelona, Espanha possuia  9 periódicos espíritas e estiveram presentes representantes de cinco Centros Espíritas. Em 1980, quando foi fundada a Federação Espírita de Cuba, já havia 23 centros espíritas.

A sociedade Espiritista tem como objetivo a união de todos os centros espíritas de Cuba, para expandir a divulgação do Espiritismo por meio da palavra , escrita ou falada (…) . Depois de transcorrido mais de trinta e oito anos, começa uma nova era plena de esperanças e propostas de ação em Cuba. No ano de 2001 os movimentos sociopolíticos e religiosos iniciaram uma nova era de abertura e crescimento do País (…).

Entrevista concedida a Revista Internacional de Espiritismo – Abril de 2011, por Manuel de La Cruz, Assessor da Coordenaria do COnselho Espírita Internacional para a área da América Cental e Caribe, e representante internacional  da Sociedade Amor e Caridade Universal e da Sociedade José de Luz, de Havana, Cuba. Desenvolve um trabalho de divulgação por meios de encontros regionais e nacionais, reestruturação e intercâmbiode conhecimentos entre todos os países que a compõe, incluindo México. A revista realizou a entrevista em espanhol, que está traduzida pela Dirigente Espírita Neyde Schneider.

Muita Paz

Personalidade deriva do latim – persona – que significa máscara, ou seja aquilo que queremos parecer para outras pessoas. Na psicologia a personalidade é a organização de vários sistemas, que determina  como o individuo se ajusta ao ambiente que vive. A personalidade vai se construindo do nascimento até a fase adulta, mas essa construção pode sofrer alterações dependendo do meio em que vivemos.

Para um individuo desenvolver sua personalidade,  ele deve ser aceito da forma que é,  pode ser educado, orientado em seus valores, mas é importante ser aceito com a sua maneira de pensar. Jamais ofender um indivíduo na fase  infantil, por ser diferente das demais.  Há   uma característica individual,  que varia para cada ser, e que define a sua personalidade.

A personalidade de um ser humano começa a ser ameaçada, quando as idéias dos que estão a sua volta entram em choque com a sua, podendo gerar conflitos para esse individuo.  Como por exemplo: A pessoa começar a ser tratada como um covarde, quando não  se defende de uma ofensa, e a opinião dos demais, é ele deveria reagir. Desse conflito, poderão nascer frustrações, ansiedades, podendo causar doenças fisicas.

Para o restabelecimento deste ser em desequilibrio, um  psicológico, poderia  indicar várias atividades que ajudariam  ao seu restabelecimento.  Além do tratamento material outra forma de ajuda seria a participação em alguma religião, obras beneficentes, são também maneiras de descarregar as tensões.

Ora se as coisas desse mundo fossem encaradas da maneira,  como  o espiritismo vê,  o homem entenderia mais facilmente todo  sofrimento que o cerca,  e não se sentiria tão confuso,  tendo  mais facilidade em procurar ajuda material e espiritual,  para vencer as dificuldades encontradas nesta reencarnação.

Muita Paz

Sou algo mais do que isto,
Do que cérebro e coração
Não sou apenas matéria,
Que cumpre sua função.

Sou centelha, sou etéreo,
Sou Espírito imortal,
Sou alguém travando luta,
No meio do bem e do mal.

Sou viajante do tempo,
Nesta grande nave Terra,
Já tive tempos de paz,
Já tive tempos de guerra.

No grande palco da vida,
Fui mendigo e doutor,
Apanhei no pelourinho,
E matei quando senhor.

Lavei as mãos com Pilatos,
E gritei por Barrabás,
Virei as costas ao Mestre,
Sem voltar-me para trás.

Hoje sou o resultado,
Das vivências do passado,
Trago agora a certeza:
Sou um ser reencarnado

Muita Paz

José Maria Brito Lopes

No dia 25 de novembro comemora-se o dia da Não violência contra a mulher. Essa data foi criada em 1981, na Colômbia, para homenagear  3 irmãs mortas violentamente ao desafiarem o governo. Essa data foi aceita pela ONU em 1999. Esse movimento teve como finalidade sensibilizar os governantes contra essa violência.

Porém as mulheres continuam sendo vítimas de violências domésticas, assistem seus pais agredindo suas mães e a elas também,  e  depois continuam sendo agredidas pelo seu companheiro, que se sentem no direito de maltratar fisicamente e moralmente,  sua mulher, somando-se a violência sexual, que na maioria das vezes acontece dentro da sua própria casa.

A sociedade convenientemente fecha os olhos  a essa situação, não querendo se envolver com estes fatos, e a mulher agredida,  normalmente tem medo de denunciar, pois sabe que pouco ou quase nada acontece ao agressor. Nos anos 70, quando uma mulher traia seu marido e este a matava, a justiça terminava por colocá-lo em liberdade, alegando que ele cometeu este ato em ¨legitima defesa da honra¨ , e muitos crimes contra as mulheres foram justificados .

Basta observar os números alarmantes de violência contra a mulher que ainda ocorre hoje, agressões, estupros conjugais, prisões domiciliares, sem que os culpados sejam punidos corretamente. Assistimos nos filmes,e programas de televisão, a banalização da violência à mulher. E pior, muita gente ainda concorda com o que assiste,  principalmente quando esta mulher é colocado como vilã, muitas mulheres que assistem essa programação aprovam.

Mulher

 

Para o Espiritismo que compreende a lei de ação e reação, justificando que o que plantamos ontem colhemos hoje, e que o verdugo de ontem é a vítima de amanhã.  Não pode aceitar os atos de violência dos seres humanos.  Mesmo que tenhamos sido vítimas no passado, NÃO  justifica ser o agressor no presente. O mau que recebemos Não nos dá o direito de pagar na mesma moeda.

Jesus nos dá um exemplo de não violência contra a mulher, quando os Escribas e Fariseus levaram para a praça uma mulher adultera, para que fosse apedrejada,  como era a lei da época. E ao pedirem a opinião de Jesus,  o Mestre apenas respondeu:

¨Quem estiver sem pecado atire a primeira pedra¨ As mulheres sempre tiveram um papel importante na terra, não vieram apenas para procriar e servir ao homem, elas possuem a sensibilidade que muitos homens desconhecem.  Todos os  seres são iguais diante do Criador, e precisamos alcançar também essa posição neste mundo de provas e expiações.

Apesar de já existir várias delegacias no atendimento à mulher agredida, ainda falta a atuação verdadeira da lei,   para  que essa mulher seja amparada, para que possa refazer sua vida. Existem projetos para auxiliá-las, mas falta apoio emocional,  para que essa mulher possa caminhar com seus próprios pés, pela vida, sem medo do seu agressor.

Ainda estamos muito atrasados espiritualmente.  Presisamos trabalhar hoje, para que no futuro esse mau, seja corrigido. E  trabalharmos na  educação dos nossos filhos. Pedindo forças a Deus,  para que o nosso   lar fique distante da violência. Incluirmos à educação das nossas crianças,  a Evangelização, os ensinamentos de Jesus. O  ensinamento religioso ajudará a criar uma futura geração mais saudável, se ensinarmos aos nossos filhos o Evangelho de Jesus, pois este ensina o amor, o perdão e o respeito entre os seres humanos. Não importa a religião, Espírita, Católica , Evangélica etc… O importante é que essa criança participe da religião dos seus pais, para que possamos ter amanhã um mundo mais livre da violência.

Muita Paz

Espíritas amai-vos; espíritas instrui-vos.
Maio 2011
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores