A ilusão do suicida é de que, com a extinção do corpo, cessam os problemas e dores, mas infelizmente isto não acontece, quando percebe que a morte não existe, e que de nada adiantou este gesto tresloucado, o sofrimento é muito maior.

Segundo Léon Denis o suicidio é uma covardia, um crime cujas consequencias são terríveis. Cada um de nós tem deveres, uma missão a cumprir na terra, provas a suportar para o nosso bem e elevação. Procurar libertar-se dos males terrestres antes do tempo é violar a lei natural, e cada atendado contra essa   lei  traz para o culpado uma violenta reação. O suicidio  não põe termo aos sofrimentos físicos nem morais.  O espírito quando percebe que nada adiantou entra em desepero, sofrendo mais do que quando estava encarnado.

Longe de abreviar sua prova, ele a prolonga . Seu mal estar, sua perturbação persistem por muito tempo  depois da destruição do corpo carnal. Deverá enfrentar  novamente as provas que ele supunha  poder escapar com a morte e que foram geradas pelo seu passado.

Terá de suportá-las em piores condições, refazer, passo a passo, o caminho semeado de obstáculos, e para isso sofrerá várias reencarnações  mais penosa ainda que aquela à qual pretendeu fugir.

                                                                 O suicidio é uma das mais graves infrações as leis de Deus.

Muita Paz