Quando a morte ceifa em nossas famílias, pessoas jovens e que muito amamos, Quantos de nós, diante da dor diz: Deus não é justo! O sofrimento realmente é muito grande, mas não podemos medir a justiça de Deus pelo nosso sofrimento.

Será que podemos pensar que Deus nosso PAI queira, por um simples capricho, infligir-nos penas crueis. Deus,  nada faz sem uma finalidade, e tudo o que acontece tem a sua razão de ser.

A morte prematura é quase sempre  um grande benefício, que Deus concede  ao que se vai, sendo assim preservado  das misérias da vida, ou das seduções que poderiam arrastá-lo a perdição. Aquele que morre jovem  não é uma vítima da fatalidade, pois Deus julga que não lhe será útil permanecer maior tempo na terra. Dizemos que terrível desgraça!  Uma vida cheia de esperanças cortada tão cedo. Mais de que esperanças quereis falar? Essa nossa visão é a de quem não consegue elevar-se  acima da vida material. Sabíamos, qual seria a sorte  desse ente amado? Será que sua   vida, seria tão cheia de esperanças, e alegrias, segundo entendemos? E as esperanças da vida futura? Será que vale mais um lugar entre os homens,  que entre os espíritos bem -aventurados?

A espiritualidade superior nos diz para ficarmos alegres ao invés de chorármos, quando Deus decide tirar um dos nossos filhos  desse vale de misérias. Sabemos que é difícil controlar o sofrimento,  mas quem tem fé sabe que essa separação,   NÃO,  é eterna.  Os pais devem saber que seus filhos  estão bem perto e os protegem.  A saudade e a lembrança carinhosa os enche de felicidades, mas sua dor, seu pranto constante e lamentações os fazem sofrer, pois percebem que seus pais não tem fé em Deus.

Deus dará a consolação, a esses pais.   Sabemos  que a morte não existe!  Que um dia todos estarão juntos outra vez , as lágrimas secarão, e a certeza do amor de Deus nascerá de novo em vossos corações.

Muita Paz